Papéis do marido e da esposa



Vivemos dias terríveis. Por um lado, o movimento feminista tem tentado destruir o princípio bíblico da submissão, defendendo que a mulher tem de buscar um lugar ao sol, pois esse negócio de lavar, passar, cozinhar está totalmente por fora. Por outro lado, o machismo defende a escravatura das mulheres, e alguns homens se casam para ter uma servidora doméstica em casa. Como trabalhar essas questões na igreja?

Creio que Paulo mostra no texto clássico de Efésios 5.21-30 qual é o verdadeiro significado da submissão feminina e qual é o papel do homem para com a sua mulher em termos de submissão.

Eu li um livro que mexeu comigo no sentido de aprender a amar mais a minha esposa e a me dedicar mais no relacionamento conjugal: As cinco linguagens do amor - Como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge, de Gary Chapman. Gary nos mostra que as crianças que se sentem amadas por seus pais e ami­gos desenvolvem a linguagem do amor emocional, com base em sua formação psicológica única e também de acordo com a forma como seus pais e outras pessoas próximas lhe deram carinho.

Se quisermos que o nosso cônjuge e também os filhos compreendam o amor que lhes desejamos comunicar, deve­mos expressá-lo na primeira linguagem do amor. E devemos olhar para o princípio bíblico de mutualidade na sujeição.

Paulo nos ensina algumas formas de ter um casamento mais equilibrado e mais sadio em todos os processos:


As mulheres devem ser submissas aos seus maridos como cabeça do lar O primeiro ato de submissão que ele ensina é o das mulheres pelos seus maridos. Temos de observar que essa palavra tem um significado de mutualidade. Então, aprendemos com Paulo que deve haver sujeição mútua entre marido e mulher, e o temor de Cristo é a base desse processo na vida de ambos.


O que é submissão? É render uma obediência inteligente e humilde a uma pessoa, à qual Deus tem dado poder e autoridade.


O que não é submissão? Não ter uma opinião própria. Ser simplesmente uma escrava do marido. Não ser valorizada com as suas sugestões.


Quais são as características da submissão de uma mulher? É parte da natureza da mulher (Gênesis 2.18 – uma auxiliadora que lhe seja idônea). Isso tem como característica um bom comportamento (1 Pedro 3.1-2). É o modo pelo qual Deus trabalha na vida do marido (Provérbios 21.1).


Quais são os benefícios da submissão no Senhor? Proteção; realização; segurança; harmonia no lar; exemplo para os filhos. A Palavra do Pai jamais é difamada (Tito 2.5; 1 Timóteo 5.14).


O que podemos aprender com o princípio da submissão?

  • A submissão não é algo isolado, é algo mútuo. Ela é para a esposa, mas também para o marido no sentido de servir à sua esposa.

  • A submissão não faz da mulher uma escrava, mas uma serva obediente a Cristo.

  • A submissão mostra uma mulher cuidadosa, amorosa e totalmente dedicada para com o seu marido (leia Provérbios 31).

  • A submissão tem de ser realizada pela mulher semelhantemente à submissão que Cristo demonstrou na cruz em nosso lugar. Portanto, uma submissão feita com amor.

  • A submissão só é real e mútua quando é feita no temor do Senhor (Efésios 5.21).

  • A submissão da mulher só é eficiente quando ela busca a verdadeira felicidade do seu marido (Provérbios 31.11-12).

  • A submissão que não acontece no lar deixa-o sem o cabeça e torna-o um caos terrível.

  • A submissão acontece quando a mulher jamais toma o lugar que é do marido. As mulheres dominadoras estão completamente deslocadas em seu próprio lar, pois os maridos é que se tornam os submissos no sentido de autoridade. Assim, os lares se tornam fracassados, sem amor e sem respeito, não por causa do machismo, mas por causa da inversão bíblica de função.


Como famílias, precisamos dessa prática da submissão mútua que gera felicidade, harmonia e equilíbrio nos lares que andam com Deus! O espaço da mulher é dela, ninguém precisa tomar nada. Não há necessidade de movimentos feministas. A mulher tem a graça de ser a cuidadora da sua família em submissão e amor para com o marido. Ela brilhará todos os dias desenvolvendo um dom que é próprio dela. Ela cuida muito bem dos filhos, do marido e dos detalhes da família com sabedoria, graça e amor.


Os maridos devem amar suas esposas como Cristo fez com a igreja Paulo traz uma lembrança para todos os homens que querem ser felizes na sua vida relacional e espiritual. Ele ensina os homens a amarem sua esposa tendo como modelo maior Cristo, aquele que amou sua igreja e por ela se entregou à morte de cruz. Qual é o amor tratado por Paulo?

Um amor divino, sacrificial e de entrega profunda. Paulo nos ensina que Cristo amou com propósito, amou voluntariamente, amou totalmente a sua igreja. Cristo amou a sua igreja e se entregou por ela. Paulo diz que Cristo amou a igreja e se deu por ela a fim de que pudesse, por meio do batismo com água, santificá-la e purificá-la. O amor é dedicado para que haja santificação e purificação.

A ideia que Paulo nos mostra é que o marido é feliz quando faz sua esposa feliz. Se ele ama a esposa de todo o coração, é uma pessoa saudável, que vive em paz consigo mesmo. Quando o marido ama a esposa, faz um bem para si mesmo e, consequentemente, a submissão de sua esposa será mais fácil.

Como maridos, fomos chamados para imitar o amor de Cristo, amando a nossa esposa, com demonstração de respeito, carinho, honra e prazer. Com o profundo desejo no coração de ter tudo em comum com ela, de protegê-la e procurar o bem-estar emocional e espiritual dela.

A sociedade atual perdeu os sentidos e o verdadeiro significado do casamento e quais são os papéis do marido e da esposa.

A Bíblia não é um livro antiquado e ultrapassado. Ela é absolutamente atual e tem os limites e padrões bem atuais para lidarmos com o relacionamento conjugal. Ela é clara nos seus objetivos. As mulheres, com sua sensibilidade e detalhes peculiares que Deus lhes deu, devem ser as auxiliadoras do seu esposo, um papel que é digno e não é para o homem. Todo homem que for submisso a uma mulher será desajustado.

Os homens, com sua forma de liderar e ser firmes nas decisões e também com detalhes peculiares que Deus lhes deu, foram chamados para amar sua esposa. Foram chamados para cuidar e trazer a provisão para a família. Foram criados para serem os líderes, assim como Cristo é da sua igreja, só que sempre realizando sua missão com amor, graça e sabedoria.

Que a graça de Deus seja derramada em nossa família, para que as esposas sejam auxiliadoras submissas que se sujeitam a Cristo em primeiro lugar e os maridos amem a sua esposa do mesmo modo que Cristo amou a sua igreja, dando-se a si mesmo por ela.

#Família

2 visualizações0 comentário
  • Twitter Clean
  • w-facebook