• Giovanni Luiz Zimmermann

Expectativas irreais



Eu e minha esposa Beth nos conhecemos na Renovação Carismática da igreja católica, movimento que eu liderava, em 1975. Como moça, ela sonhava casar com um “príncipe encantado montado em um cavalo branco”, e tudo indicava que eu seria “o próprio”! Casamos exatamente um ano depois que nos conhecemos, e logo ela descobriu que havia casado com um grande “cavalo branco”!

Os primeiros anos foram muito difíceis, mas vou apresentar algumas bases e princípios que nos ajudaram a vencer e a chegar até aqui, com 43 anos de casados:

1 - Cada um, antes de casar e no casamento, deve, de fato e de verdade, amar a Deus de todo o coração, pois quando há jugo desigual, as frustrações da vida conjugal fazem aflorar a paixão egoísta e o hedonismo camuflados no coração de cada um. Confirmem em Mateus 22.34-40 e 2 Coríntios 6.14-18.

2 - Cada um, antes e especialmente depois de casar, deve buscar e orar a Deus e a sua Palavra, todos os dias. Desliguem mais o celular, a internet, a TV e tudo o que os aproxima e os amolda ao padrão deste mundo. Tenham mais tempo juntos, como filhos de Deus, abram o coração e as lutas, busquem e apliquem materiais bíblicos sobre casamento e família. Veja em Mateus 6.5-15; João 4.23-24; Romanos 12.1-3.

3 - Nesse ambiente, mesmo diante das lutas, vocês aprenderão e crescerão no hábito de confessar e reconciliar-se todos os dias, não deixando acumular desavenças, brigas, iras e decepções, consigo e com o outro, a ponto de até esfriarem os afetos, os toques e o sexo. Despertem para o que diz Mateus 5.21-26; Efésios 4.26-27; 1 Coríntios 7.1-5.


4 - Uma arma poderosa em Deus para que as lutas, brigas e agressões não se acumulem é orar juntos todos os dias, concordando em orar a respeito até das coisas que discordam, pedindo perdão e perdoando um ao outro, como está em Mateus 18.18-20. Esse texto nos fez orar juntos desde nossa primeira noite, em lua de mel, e mesmo nos momentos terríveis que passamos, pelos nossos próprios erros e pelas aflições que passamos. Até hoje, oramos juntos todos os dias, sabendo, e é comprovado, que Jesus está em nosso meio. Também oramos com todos os filhos, todos os dias e até hoje; juntos, oramos por eles e pelos netos.

5 - Esses quatro primeiros princípios levarão vocês a crescer na transparência e na comunhão como casal e família, como predito em 1 João 1.5-10; Tiago 5.16; Gálatas 6.1-10.

6 - Mesmo praticando e perseverando nesses princípios, vocês enfrentarão situações no casamento e na formação dos filhos e netos em que não saberão como agir, e para não sofrer prejuízos irreparáveis, precisarão ter a humildade de buscar ajuda de casais mais velhos e realizados em Deus. Precisarão de uma paternidade espiritual e de referência de casamento e paternidade humana de filhos de Deus, verdadeiros na fé e obediência à Bíblia. Leiam e pratiquem 1 Pedro 5.5-11; Efésios 4.1-6; 5.21-33; 6.1-4.

7 - Nunca aceitem nem citem o “divórcio” como solução, pois isso é amoldar-se ao padrão deste mundo, ofende a Deus e abre portas para a destruição da vida e das famílias de seus descendentes, colocando a eternidade de todos em alto risco. Confirmem isso em Malaquias 2.13-17; 4.5-6; Marcos 10.5-9; Lucas 17.26-30.

8 - Sua eternidade, bem como a de sua família, depende da sua fé e testemunho de crente e filho de Deus, no seu cuidado com sua família, como nos adverte 1 Timóteo 5.4, 8; Mateus 24.10-14; 36-44.

Por tudo o que tem acontecido com muitos casamentos dentro da igreja, pela falta de conhecimento ou de praticar esses e outros princípios eternos da Palavra de Deus, é urgente que os pais e as igrejas invistam em preparar os jovens para o casamento e na restauração dos casais feridos, pois a igreja é e sempre será o que são os casais e as famílias de seus líderes e dos seus membros, como afirma claramente Efésios 5.21 a 6.4 e 1 Timóteo 3.1-5.

Abençoamos sua vida, casamento e família.

#Família

7 visualizações0 comentário
  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now