• Paulo Klawa

Quando a morte de Cristo declara: depressão nunca mais



Talvez alguns não tenham percebido, mas existem centenas de pessoas, mesmo dentro das igrejas, que estão desesperadas, frustradas e feridas, lutando contra a depressão. Particularmente, não acredito que alguém tenha escolhido estar deprimido. A verdade é que essa doença pode atacar qualquer um, mesmo crentes em Jesus. Embora a Bíblia não use a palavra depressão, encontramos em suas páginas homens e mulheres cheios de fé que enfrentaram a depressão. Encontramos o profeta Elias, que, ao ser perseguido por Jezabel, chegou a pedir a morte; Jeremias, que, em meio a tantas desgraças e perseguições do seu próprio povo, desejava não ter nascido; Noemi enfrentou a depressão devido à morte de seu marido e de seus filhos, perdeu a alegria de viver e buscou o isolamento. E o que podemos dizer do grande rei Davi? Em muitos dos seus salmos, principalmente no salmo 31, descreve sobre suas angústias, medos e culpa pelo pecado, enfim, ele se sentia como um vaso quebrado. Apesar de essas pessoas terem vivido situações difíceis que culminaram em uma depressão, Deus nunca as abandonou. Seu amor, carinho e cuidado as ajudaram a vencer essa terrível enfermidade. Se Deus fez isso no passado, certamente fará no presente! Acredito que o desencadeamento da depressão está associado a fatores externos e internos. Quanto aos fatores externos, nem sempre conseguimos prevenir ou evitar que eles cheguem a nós, como uma demissão, doenças, traição de uma pessoa amada, a perda de um ente querido, entre outros. Creio que a maneira para vencermos esses fatores será entendendo que Deus nem sempre nos livrará de algumas de nossas lutas e que estamos sujeitos a enfrentar tais situações. No entanto, o nosso posicionamento em Deus não nos deixará sucumbir, e vale lembrar que Deus não permitirá passarmos por uma prova ou luta maior que nossas forças, mas nos dará o escape para que possamos suportar (1 Coríntios 10.13). Claro está que também podemos ou devemos procurar ajuda em nossos pastores e líderes espirituais e em profissionais da área da saúde mental. Quanto aos fatores internos, a luta pode ser um pouco mais acirrada. Acredito que o grande campo de batalha está em nossa mente, em nossa alma. É justamente aí que mais o diabo trabalha buscando a quem possa tragar. Satanás tenta nos convencer de que não somos nada, não temos nada e não podemos nada. Nosso inimigo sempre tentará nos fazer olhar para nossas derrotas, erros e frustrações do passado e para aquilo que não temos ou ainda não conquistamos, e se permitirmos que esses pensamentos nos dominem, seremos fortes candidatos a sofrer com a depressão. Nessa hora de angústia, temos de fixar nossos olhos em Jesus e no que Ele fez por nós na cruz do Calvário. Quando o profeta Isaías nos fala do servo sofredor no capítulo 53, ele diz assim nos versículos 4 e 5: “Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. Esses versículos são lindos e verdadeiros, eles nos falam de que Jesus, por amor, veio ao mundo para nos salvar. Ele foi oprimido, castigado, crucificado e morto como preço pelo nosso resgate. Esse texto nos fala principalmente da manifestação extraordinária de sua graça a fim de nos conquistar vida e vida em abundância. Em sua morte e ressurreição, Ele nos conquistou a cura de todas as nossas enfermidades, até mesmo da depressão. Quando nos lembramos de seu sacrifício, podemos ter a certeza de que Ele nos ama e que somos preciosos. Todas as mentiras de Satanás caem por terra quando reconhecemos que nossos pecados foram perdoados, que nos tornamos filhos de Deus e, como filhos, somos herdeiros de todas as promessas. Entendendo e aceitando a obra de Cristo na cruz, sentimos proteção e segurança nos braços do Pai. Acredito que não há depressão que possa resistir a esse impressionante amor de Deus manifesto no fato de Cristo ter morrido em nosso lugar. Agora cabe a nós aceitarmos e tomarmos posse desse amor e dessa cura conquistada por Cristo na cruz do Calvário. Esse grande e precioso amor que nos envolve de uma maneira extraordinária e lança fora todo medo. Envolvidos por esse amor, perdão, graça e misericórdia de Deus podemos declarar: Jesus me ama; sou liberto(a), sou curado(a)... Não sou escravo(a) do medo e da depressão, sou filho(a) de Deus!

#Depressão

3 visualizações0 comentário
  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now