• Sergio e Magali Leoto

Depressão na adolescência é mais comum do que imaginamos



Estima-se que um entre sete adolescentes sofre com crises de depressão todos os anos. Você conhece alguém que pode estar passando por isso? Calma! O fato de alguém ficar triste uma vez ou outra não quer dizer que sofra de depressão, mas quando esse quadro de abatimento se prolonga por períodos de duas ou três semanas, é necessária a avaliação por um médico para confirmar (ou não) se a pessoa tem o problema. Só os médicos podem confirmar esse diagnóstico! Depressão faz parte dos chamados “Transtornos Afetivos ou do Humor”. É uma doença caracterizada por um estado de ânimo sombrio e/ou falta de interesse, motivação, redução de energia mental e física, baixa autoestima, sentimento de inutilidade, incapacidade de sentir alegria, prazer e felicidade. Frequentemente, as pessoas têm a sensação de que a vida perde o sentido. Na infância e adolescência, manifesta-se dependendo da fase de desenvolvimento em que a criança se encontra. Um adolescente sob muito estresse, com problemas de aprendizado, conflitos relacionais de amizade ou familiares, com crises de ansiedade, corre maior risco. O aumento do uso de mídias sociais está associado ao crescimento de adolescentes com depressão. Mas os efeitos nessa faixa etária trazem dificuldades nos aspectos cognitivos, emocionais e de aprendizado, logo no início da crise depressiva. O adolescente dá sinais de depressão quando deixa de ter alegria, não quer ficar com os amigos, isola-se a maior parte do tempo, com abatimento, tristeza. Passa a desvalorizar coisas que antes considerava muito divertidas. Crianças e adolescentes deprimidos podem dizer que “querem morrer” ou irão se suicidar. Não se deve desprezar esses alertas: eles podem ser um “pedido de socorro”. Quando não recebem ajuda rapidamente, mesmo que não haja o suicídio, existe a possibilidade de recorrerem a álcool e drogas. Se um ou mais desses sinais de depressão persistirem, os pais devem procurar ajuda: 1) Tristeza frequente e crises de choro; 2) Diminuição do interesse ou desfrute de atividades favoritas; 3) Desesperança; 4) Tédio persistente; 5) Isolamento social, como se retirar de amigos e familiares; 6) Baixa autoestima e sentimento de culpa; 7) Extrema sensibilidade à rejeição ou falha; 8) Frequentes ausências ou mau desempenho na escola; 9) Baixa concentração; 10) Mudança importante nos padrões de alimentação e/ou sono; 11) Desejo ou esforços para fugir de casa; 12) Pensamentos ou expressões de suicídio ou comportamento autodestrutivo. Os sinais da depressão podem vir “disfarçados”: adolescentes antes equilibrados mudam seu comportamento, causando problemas na escola ou com amigos e até em casa. Muitos deles afirmam textualmente que estão infelizes ou tristes. Alguns pais consideram o mau humor depressivo como se fosse parte do jeito de ser do adolescente. É necessário observar se “esse jeito de ser” está comprometendo seriamente as relações afetivas, o desempenho escolar e o estado geral de saúde do adolescente, pois podem ser sinais de uma crise. O quadro depressivo varia bastante de pessoa para pessoa. Alguns têm um único episódio depressivo, outros têm vários episódios ao longo do tempo, chegando a desenvolver um quadro crônico. O diagnóstico e tratamento precisam ser feitos por um médico, o mais rápido possível. Depressão é uma doença real, que requer ajuda profissional. O tratamento pode incluir terapia individual e familiar, além de medicação antidepressiva. O cultivo de hábitos saudáveis é fundamental para o adolescente depressivo. Inclui cuidados como: uma boa noite de sono, alimentação balanceada, atividade física e o não uso de bebidas alcoólicas e drogas. Ajudará muito na superação do problema o aumento da amizade e intimidade com Deus – descansar na orientação daquele que conhece todas as coisas! Isso acontece quando você orienta sua vida por meio da Palavra de Deus, investe tempo falando com Ele em oração e busca alegria e sentido para a vida na vontade d’Ele. O Senhor responde a quem o busca com sinceridade e guia com segurança os seus caminhos – agora e também no futuro. “Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração... declara o Senhor (...) Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece (...) O Senhor me faz repousar em verdes pastos e me leva para junto de riachos tranquilos. Renova minhas forças e me guia pelos caminhos da justiça” (Jeremias 29.13-14; 33.3; Salmos 23.2-3). Avalie seu caso: busque a Deus e também procure o médico!

Fonte: “Transtornos Afetivos na Infância e Adolescência”, Conselho Científico da ABRATA – Ass. Bras. de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos, Santos, 2018.

#Depressão

7 visualizações0 comentário
  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now