O que mais estressa em você?



Recentemente, li uma enquete com a seguinte pergunta: “O que mais estressa você?”. Ao ver a porcentagem dos resultados, para minha surpresa, a opção mais votada foi relacionamento (30%), seguida por falta de tempo (23%), trabalho (19%) e trânsito (18%). Esses dados me levaram a uma reflexão que eu compartilho com você: por qual motivo as pessoas têm se estressado mais com os seus cônjuges do que com o trânsito – que anda insustentável – ou com a falta de tempo – que por vezes nos faz abdicar de alguns prazeres pessoais? Não existe casamento que não passou, não passe ou não vá passar por um momento de crise. Mas antes que uma crise se manifeste surgem sinais de que algo não está bem na relação, colocando em alerta o casal. Desentendimentos frequentes, discussões por pouca coisa, brigas, falta de contato físico, falta de alegria em casa são apenas alguns indícios de que há algo errado. No meio do turbilhão e do buraco negro que se tornou a relação, encontrar a saída parece difícil, mas não é. Há uma luz no fim do túnel capaz de resgatar os laços como nos primeiros dias de convivência e fazer com que o matrimônio seja reavivado. Pode parecer clichê para um cristão, mas um casamento sem Deus sucumbe no primeiro “terremoto”. A intimidade física e a cumplicidade da alma estão estreitamente vinculadas entre si no relacionamento a dois e são cultivadas simultaneamente por marido e mulher, conforme explica o pastor Joel R. Beeke, autor do livro Amigos e amantes. Para desenvolver a amizade, ou melhor, a cumplicidade, marido e mulher devem primeiro buscar uma fé mais profunda em Jesus Cristo, além de buscar imitá-lo. A maior barreira para a amizade é o nosso pecado. Não me refiro apenas ao adultério ou à pornografia, mas principalmente ao orgulho e ao egoísmo, à idolatria de nós mesmos. Além de crescer espiritualmente, os casais podem cultivar a amizade e o amor passando tempo juntos, falando sobre suas experiências, pensamentos, sentimentos, planos e vida espiritual. Um dos meios especiais de crescer em intimidade é compartilhar a oração juntos diariamente, com cada um tendo a chance de orar pelo outro ou pelos sonhos do casal. Aliás, nada é mais saudável do que o casal sonhar junto. Sem sonhos, a esperança é diluída na rotina do dia a dia. A falta de comunicação é uma ameaça extremamente séria para os casamentos. Sem conversa, sem diálogo, a ação adversária espiritual toma as mentes, e o afastamento gera pecados que só atrapalham ainda mais. Assim, para ter um casamento sadio é necessário:

Ouvir com atenção. Criar o hábito de pedir e liberar perdão, resolvendo os conflitos o mais rápido possível (Efésios 4.26); Ser pacificador, não fazendo questão de ganhar uma briga, uma discussão, zelando pela paz, assim os dois ganham (Hebreus 12.14); Aprender a resolver os conflitos guardando seu coração (Provérbios 4.23); Tratar o cônjuge como gostaria de ser tratado (Mateus 7.12). Em vez de tentar mudar o marido ou a mulher, buscar em Deus a mudança. Usar palavras de afirmação, aprovação, incentivos, elogios que geram vida no outro, trazendo força, ânimo, coragem e alegria para exercer bem seu papel.

Deixo alguns conselhos para que você cuide de forma prática do seu casamento. Tenha fé e esperança. Há uma luz no fim do túnel. O nome disso é Deus, que faz novas todas as coisas (Apocalipse 21.5).

Cuide de seu casamento:

Comunicação: Falta de comunicação entre o casal também tem sido um fator responsável por crises conjugais. Ninguém pode se comunicar se não tirar os olhos do celular, da TV, do computador ou de outra pessoa. Então, atenção ao marido ou à esposa é essencial. Intimidade: O sexo não é tudo num casamento, mas a falta dele ou o desentendimento nessa área podem piorar uma crise conjugal. É preciso reaprender a namorar. Dinheiro: É necessário que todo casal converse seriamente sobre esse assunto sem apontar um ou outro como responsável. Juntos, precisam cortar custos, abrir mão de alguns prazeres e buscar atividades complementares. Não é necessário ter dinheiro para dar uma volta no parque e curtir o momento a dois. Não coloque seu casamento em primeiro lugar: Deus deve ocupar o primeiro lugar em tudo na vida. Ninguém amará seu cônjuge verdadeiramente se não amar mais a Cristo, se não se render a ele. Quando o Senhor é amado sobre todas as coisas, ali há perdão, restauração, reconciliação, compaixão, misericórdia e amor puro. Paz: Não crie desentendimento por conta de qualquer assunto que seja: dinheiro, ciúmes, a sogra, quem faz o que para ajudar no lar, a apatia, os filhos, a crise sexual, o egoísmo etc. É preciso se entender, e para isso tem de haver conversa: sem aumentar o volume da voz, sem inserir acusações e sem esquecer o amor que os une.

#Adoraçãoemfamília

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now