Fidelidade no namoro



Em primeiro lugar, é bom ressaltar o que é o namoro. Namoro é um tempo bonito, um momento em que o casal desenvolve a amizade, o respeito, o perdão, compartilha seu afeto, partilha experiências, fortalece a confiança e a cumplicidade. É uma relação em que se está comprometido(a) socialmente, mas sem estabelecer um vínculo matrimonial perante a lei civil ou religiosa. Diferentemente do casamento, o namoro pode ser dissolvido a qualquer instante. O namoro é uma relação mais leve e menos exigente que um matrimônio, mas também envolve fidelidade entre os namorados. Como tudo tem uma consequência, um bom relacionamento no namoro causa um reflexo no alicerce do casamento, por isso não é correto namorar sem propósito. É necessário desde o início ter a intenção de casar. Mas calma! Isso não significa que se deve casar com o(a) primeiro(a) namorado(a), mas é importante um compromisso espontâneo, respeitando as emoções e o sentimento da outra pessoa. Não se deve começar um relacionamento só para não ficar sozinho ou, pior, pensar que é apenas algo passageiro. Namoro é um momento para conhecer o caráter e os sonhos um do outro, para descobrir coisas em comum, em que concordam e em que discordam o que vão levar para o altar ou o que vão deixar para trás. Afinal, o namoro leva ao noivado, que pode chegar ao casamento, por isso é tão importante respeitar cada uma dessas fases, sem pressa. O mundo deturpou o namoro impondo ideias e ideais errados entre os jovens que só aprisionam suas emoções e sentimentos. Quando se pula a fase do namoro para um momento mais íntimo, pode haver muitos problemas, tanto moral como emocional e espiritual. O ato sexual é apenas para depois do casamento, pois ele estabelece uma aliança, cria um vínculo espiritual, como a de um pacto de sangue, em que a pessoa entrega sua intimidade, e isso deve ser especial (1 Coríntios 6.18-20). É essencial lembrar que Deus quer manter comunhão com seus filhos, mas o pecado nos afasta dele. Por isso é importante estabelecer limites no namoro, saber a hora de afrouxar um abraço ou parar um beijo, para que não conduza a um relacionamento íntimo, olhar para a cruz e saber que Jesus vai sustentá-lo(a), para que você vença o desejo da carne e tenha um namoro saudável, estável e futuramente forme uma família bendita. É bom que não haja jugo desigual, pois namorar com quem não professa a sua fé ocasionará conflitos desnecessários. Se o namoro entre cristãos já passa pelos conflitos naturais, imagine com toda a pressão de ter de escolher entre sua fé e seu namoro (2 Coríntios 6.14-15). A maioria das igrejas tem conselheiros para essa fase da vida. Se você está com dúvidas ou em crise, procure alguém de sua confiança para conversar e desabafar, clarear seus pensamentos e orar a esse respeito.

#NamoroCristão

65 visualizações
  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now