Eu não aguento mais!



Há centenas de outras formas, além de ter uma vida equilibrada e alimentação adequada, para lidar com o estresse. Algumas são dispendiosas, apesar de eficazes, como viagens e Spas, portanto não disponíveis a todos; outras são simples, utilizadas sabiamente por alguns. Porém, há escapes desaconselháveis, como a utilização do álcool e tranquilizantes, na tentativa de diminuir o nervoso e equilibrar as emoções. Não me refiro a prescrições médicas, mas quando tais medicamentos são utilizados aleatoriamente, tornam-se tão perniciosos quanto o próprio estresse. Alguns entram em um mundo de fantasia e se abstraem em frente a uma televisão. Grande parte dessas pessoas acaba “tomando” doses exageradas desse tipo de remédio. A falta de equilíbrio é uma característica do estressado e acaba se revelando na própria tentativa de superar o próprio estresse. Entre as várias formas utilizadas para a superação do estresse, gostaria de propor mais algumas:

1. Identifique as causas de seu estresse. Faça uma lista. Aprenda a dizer “não”. Aceite seus limites. Não tente ser a mulher maravilha nem o super-homem. Uma vez que reconheçamos os pontos de estresse, saberemos até onde ir para não “esticar demais o elástico”. 2. Evite, se possível, assumir muitos compromissos ao mesmo tempo. Se você tiver em sua agenda projetos estressantes muito próximos um do outro, procure redistribuí-los. 3. Treine e procure viver com imperfeições. Ninguém é perfeito – nem você! Os perfeccionistas, de acordo com pesquisas, são os maiores candidatos ao estresse e esgotamento. 4. Participe de um grupo de apoio. Interesse-se pelo próximo. Compartilhe, confidencie, encoraje e ore pelos outros. Carregar o fardo juntos trará maior alívio a todos. 5. Procure desenvolver uma atitude de gratidão em vez de autopiedade. Agradeça ao Senhor porque “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8.28). O apóstolo Paulo aprendeu a estar contente em todas as circunstâncias (Filipenses 4.11), mas isso não aconteceu instantaneamente. Ele aprendeu a pensar no que era verdadeiro, amável e a regozijar-se mesmo quando sob estresse. Ele se concentrava na bondade de Deus em vez de focar nas situações. 6. Aprenda a cultivar uma boa autoestima e aceite aquilo que não pode ser mudado. Você terá altos e baixos. Nem sempre receberá aplausos; nem sempre será compreendido(a). 7. Expresse suas emoções – risos e lágrimas são excelentes diminuidores de estresse. Jeremias chorava e clamava ao Senhor. Jesus, no jardim do Getsêmani, chorou e orou. “O coração bem disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos” (Provérbios 17.22). Use o bom humor. Pessoas com um senso de humor apurado ajudam a si mesmas e aos outros, descontraindo o ambiente. Mas se você for do tipo que não consegue se expressar, procure manter um diário para extravasar. Sentimentos não liberados podem se manifestar por meio de doenças psicossomáticas. 8. Controle aquilo que você absorve. Recebemos muitas más notícias por meio da mídia. Somos bombardeados com escândalos, desastres, violências. Não estou incentivando ninguém a “enterrar a cabeça na areia”, mas há muitos que se tornam obcecados e veem só desgraças em todo lugar. 9. Aprenda a delegar e a dividir responsabilidades. Moisés não tinha tempo para lidar com todos os problemas do povo. Seu sogro, Jetro, detectou o ponto real da situação: ele não estava repartindo suas responsabilidades (Êxodo 18.18). 10. Descanse no Senhor. Confie nele de todo o seu coração. Davi aprendeu a colocar sua confiança no Senhor e a evitar que sua pressão arterial subisse: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor?” (Salmos 27.1-3). Entramos em pânico e nos estressamos porque não conseguimos resolver todos os nossos problemas. Esquecemos de confiar em Deus, de descansar nele e de crer que ele não nos dará peso maior do que podemos suportar. 11. Procure diminuir o excesso de barulho – janelas antirruído, paredes mais grossas etc. Somos bombardeados pelo barulho do trânsito, de sirenes, motores de avião e maquinários de toda sorte. Nem sempre há o que fazer, mas todo e qualquer decibel que conseguirmos diminuir será proveitoso. 12. Não se deixe dominar pela obsessão da sociedade por números: quantidade de tarefas, cotas atingidas, vendas fechadas. Evite competições desnecessárias e foque em uma melhor qualidade de vida. 13. Seja diligente e assertivo. Quando sua tarefa exigir concentração, procure eliminar focos de distração. 14. Não comece outro projeto enquanto não terminar o anterior. Este princípio também se aplica a atividades de lazer. Não comece a ler um novo livro tendo outras leituras já iniciadas. 15. Seja maleável. Insistir em sempre estar certo só cria tensão. 16. Faça o que é certo, ético e lícito. Quem precisa esconder algum comportamento inadequado sofre grande estresse. 17. Treine não fazer movimentos bruscos. Fale, ande e coma mais devagar. 18. Tenha uma “válvula de escape” em seu ambiente de trabalho. Procure caminhar no horário de almoço. Ache um cantinho para orar. Elogie seus colegas. Não se deixe “engolir” pelo trabalho. Essas atitudes aumentarão sua eficiência.

Na maioria das vezes, Deus trata do nosso estresse de forma simples (1 Reis 19). Elias estava cansado e deprimido, um caso clássico de esgotamento, para o qual Deus providenciou alimento, descanso e mudança de cenário. Quando Elias estava estressado, Satanás tirou vantagens dele. Porém, quando estava descansado e alimentado, Deus lhe deu uma nova tarefa e uma nova perspectiva. E isso o tirou da depressão. Coloque seu foco mais em agradar a Deus do que aos homens. Martinho Lutero sempre dizia: “Hoje vou trabalhar muito, de manhã até a noite. Por isso vou dedicar as três primeiras horas de trabalho à oração!”. O tempo que passarmos a sós com Deus nos fortificará, renovará e se tornará imprescindível para sobrevivermos em nossa geração.

#Estresse #Crises #Casamento

24 visualizações
  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now