É melhor ser solteiro(a) ou...



O apóstolo Paulo afirma que é melhor que o homem não toque em mulher (1 Coríntios 7.1), ou seja, permaneça solteiro, mas isso é uma concessão, não um mandamento. Por isso, será que é melhor que o homem ou a mulher estejam só no ministério? Na verdade, o tema desta edição da revista Lar Cristão trata das lutas e desafios de ser solteiro(a) numa sociedade pós-moderna. A pressão que existia antes para que um filho ou uma filha se casassem hoje é menor, e o casamento, de forma geral, nos grandes centros urbanos acontece cada vez mais tardiamente. Mas existem as pessoas que entendem que desejam servir ao Senhor solteiras. E como aproveitar o melhor dessa fase? Durante quatro anos pastoreei uma igreja solteiro. Era jovem, e na verdade todo o meu tempo estava voltado para a missão. O casamento me trouxe muitas alegrias, me completou como homem, me deu o privilégio de ser pai, porém o período que pastoreei solteiro também foi pleno, permitindo-me muitas alegrias e realizações. Na verdade, a nossa preocupação deve ser como vamos vivenciar o ser solteiro(a) de acordo com os valores do Reino de Deus e realizar nosso dom e ministério. Existem algumas possibilidades com os(as) solteiros(as) se pensarmos na realização de um ministério na igreja local ou mesmo em missões. Quando o apóstolo Paulo afirmou que é “melhor que o homem não toque em mulher”, ele não era contra o casamento, ao contrário, até recomenda que é melhor se casar do que viver “abrasado”. Mas quando a pessoa é solteira, tem um tempo maior para o viver missionário. Por exemplo, sair, viajar, se acomodar com exigências menores. Você pode dizer sim ao chamado missionário, à mudança de cidade, estado, até mesmo de país, uma vez que essa decisão praticamente só depende de você. Emocionalmente suas preocupações podem ser menores, como, por exemplo, a saúde da esposa ou do marido, dos filhos ou até mesmo a subsistência da família. A vida de solteiro(a) tende a ser mais econômica. Suas necessidades se tornam menores e é mais fácil enfrentar os desafios e possibilidades. Outra questão fundamental é o tempo. No período em que eu era solteiro, todo meu tempo era voltado para a igreja. Não existia nenhuma outra prioridade. A demanda de quem é solteiro(a) em termos de tempo também é menor. Ou seja, o que Paulo estava dizendo é que a pessoa que não é casada poderia viajar mais tranquila, ficar mais tempo fora de casa em viagens missionárias, suas preocupações seriam praticamente só a missão, etc. O importante, na verdade, é que o(a) solteiro(a) entenda com tranquilidade essa fase em sua vida. Não se deve aceitar nem criar nenhuma forma de preconceito em que não se possa realizar a missão pelo fato de ser solteiro(a). Tenho vários testemunhos de solteiros(as) servindo ao Senhor com alegria, em grupos de teatro, escola dominical, corais, etc. Ao contrário, eles(as) poderão atender em qualquer área da vida e missão da igreja, até mesmo em aconselhamento de casais, já que existem muitos solteiros(as) preparados para essa tarefa. O casamento não é um empecilho para o ministério, tampouco a condição de solteiro(a). Essa pode ser uma fase ou uma opção de vida. Porém, se estiver solteiro(a), faça o melhor para Jesus, até que se case ou permaneça assim. Não existe nada que não possa realizar para honra e glória do nosso Deus. Viva esse tempo na presença de Deus.

#Solteiroa

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now