Como os papéis de marido e esposa podem impactar os filhos?



Os pais têm uma participação efetiva no desenvolvimento dos filhos, principalmente como referencial, pois transmitirão a eles suas crenças, sejam elas limitantes, sejam fortalecedoras, que determinarão suas escolhas de vida e o cônjuge, seu crescimento profissional, espiritual, seu caráter, etc. Mas estar na posição de pais compreende diversos aspectos, entre eles: amar e ter autoridade, estabelecer limites e saber o momento de liberar os limites, transmitir carinho e impor disciplina, ser um modelo para o filho em todas as áreas da vida. É dar aos filhos a capacidade de escolha, mostrar os caminhos para a vida e não permitir caminhos contra a vida, indicar possibilidades e não estabelecer regras engessadas, ser um agente de diferenciação e respeito dessa realidade de ser diferente, pois os pais funcionam como um espelho para relações saudáveis com Deus, com o outro e consigo mesmo por toda a vida. Hoje percebo que estão terceirizando a posição e ação dos pais e, pasme, existem alguns pais que concordam em terceirizar para a escola, para a TV, para as redes sociais, para os avós, para todos que quiserem assumir essa responsabilidade, sem perceberem que Deus deu isso a eles, e a pergunta que fica é: como serão os filhos na próxima geração se não são os pais que influenciam e formam? Quando aprendemos a ser pais com os princípios bíblicos e com nossos referenciais paternos, desenvolvemos maturidade para formar filhos emocional e espiritualmente saudáveis. No entanto, se perdermos os referenciais, surgirão gerações violentas e desequilibradas, com feridas na alma, seres humanos insaciáveis, egoístas, avarentos, sem domínio de si, que buscarão transformar a verdade em mentira, os valores em justificativas e desculpas, de um mundo em uma pseudoevolução. Augusto Cury, em seu livro Pais inteligentes formam sucessores, não herdeiros, escreve que herdeiros que se formam sozinhos, cheios de manias de destruição, sem ousadia e estratégias, sem criatividade, produzirão famílias descartáveis ou fragmentadas, empresas que pedirão falência em tempo recorde, nações entrarão em decadência e os recursos do meio ambiente se esgotarão. A ascensão e a queda de famílias renomadas, de empresas poderosas, de impérios imbatíveis, como o romano, ocorreram porque se destruiu a formação de sucessores e se produziram em massa herdeiros dissipadores. De nada adianta pagar as melhores escolas e dar os melhores presentes a filhos que vivem na sombra de seu pai, são especialistas em reclamar e gastar sem responsabilidade o que os pais construíram com suor e tempo. Isso acontece quando terceirizamos nossa presença e a educação, quando fragmentamos nossa família com escolhas erradas em nome de uma felicidade pessoal e egoísta e não assumimos nossa posição. Filhos precisam de pais, mais do que qualquer objeto, presentes e desculpas, pois eles darão o que têm, e se têm receberam de algum lugar. A primeira figura masculina e feminina que conhecemos quando criança normalmente é o nosso pai e mãe, e essa relação com eles determinará muito nosso futuro de sucesso ou de insucesso. Uma pesquisa feita nos EUA constatou que o adolescente médio passa menos de dois minutos por dia em conversa significativa com o pai e apenas um pouco mais de quatro minutos por dia em conversa significativa com a mãe. Todavia, um em cada quatro jovens entrevistados afirmou que jamais tivera qualquer conversa significativa com o pai.

O contato sexual e a promiscuidade eram muito menos prováveis entre os adolescentes que tinham relacionamentos íntimos com seus pais. Quase nenhum adolescente na pesquisa faz programas especiais com os pais regularmente. Os adolescentes que tinham consciência de que os pais frequentemente concediam tempo para eles tinham um melhor desenvolvimento na escola, no trabalho e nos relacionamentos.

O nosso referencial, a Bíblia, nos fala do desenvolvimento de Jesus durante sua vida aqui na terra: “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens” (Lucas 2.52). - Em sabedoria – Perspectiva de atitude e comportamento na maneira de viver e agir em seus relacionamentos. Uma sabedoria que brota do aprendizado com os pais, a verdadeira formação de caráter em tudo que realiza, essa sabedoria não vem das universidades mais renomadas, mas da vivência com os pais, na transmissão de valores. - Em estatura – Tem tudo a ver com a vida física e emocional. Nosso crescimento deve ser integral e proporcional aos estímulos que recebemos. Crescer em estatura dói, leva tempo e nos traz experiências profundas que nos tornam mais fortes e mais capazes para enfrentar os desafios da vida, até mesmo as frustrações. - Graça para com Deus e os homens – Esse ponto demonstra um crescimento espiritual que acontece diante de Deus e reflete diante dos homens. Isso diz respeito ao comprometimento com a vida com Deus, em conhecê-lo, em andar com ele, em aprender sua palavra e viver diante dos homens com poder de influência, e não de ser influenciado. Um pai negligente, ausente ou indiferente abre espaço para que outra pessoa assuma sua posição como referencial, o que pode destruir toda a vida emocional, espiritual, profissional e familiar de seus filhos. Pais: Quanto tempo de qualidade vocês investem em seus filhos com conversas significativas? Filhos: Como vocês veem seus pais? O que vocês gostariam de pedir a eles?

#Casamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now