O uso indevido de contas bancárias, cheques e cartões



Então, foi ela e fez saber ao homem de Deus; ele disse: Vai, vende o azeite e paga a tua dívida; e, tu e teus filhos, vivei do resto.” – 2 Reis 4.7

No Brasil, que há anos vive uma instabilidade econômica, que tem uma considerável desigualdade na distribuição de renda e onde não há educação financeira sistematizada para a população, há um alto índice de pessoas endividadas e com sérios problemas financeiros. Dados de uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio, divulgada em março de 2016, “aponta que cerca de 60% das famílias estão endividadas no país. Neste cenário tenebroso de endividamento o cartão de crédito aparece como o principal ‘culpado’ com o índice de 77,3% do tipo de dívidas. Em segundo lugar estão os carnês com 16,7%, financiamento de carro, 12%, crédito pessoal, 10,8%, cheque especial, 7,7%, financiamento de imóveis, 7,7%, entre outras dívidas. Vejam que a diferença do tipo de dívidas entre o primeiro lugar, cartão de crédito, para o segundo lugar, carnês, é de 60%, ou seja, mais da metade dos consumidores que possuem dívidas, devem ao cartão de crédito” (Fonte: http://educacaofinanceiraparatodos.com).

Se o cartão de crédito é o grande vilão do endividamento, o que fazer? Passar a tesoura? Jogar no lixo? Se você é do tipo que não tem controle nenhum e sai comprando por impulso, talvez a opção de “cortar” o cartão deva ser considerada, porém somos seres dotados de inteligência, com capacidade de aprender e desenvolver inúmeras habilidades, até mesmo nas finanças.

Uma das primeiras coisas a fazer é adquirir consciência das suas finanças e aprender a lidar com esse mundo. Também é preciso fazer um planejamento financeiro. Caso necessite, busque ajuda de um especialista ou converse com alguém que demonstre habilidade no campo das finanças (de sua confiança, claro). Alguns órgãos públicos têm disponibilizado cartilhas financeiras que vale a pena consultar.

A Bíblia, que é um livro que também nos direciona nessa área, nos mostra o exemplo de uma viúva, no tempo do profeta Eliseu, que estava endividada. Ela recebeu uma orientação para ganhar dinheiro, e o profeta foi taxativo: pague sua dívida. Dessa forma, podemos observar que precisamos nos livrar de embaraços financeiros, mas o que o texto quer demonstrar é: saiba direcionar seus recursos. Também orienta sobre organização do orçamento para que possamos saber o tamanho dos nossos gastos e sejamos disciplinados. Vamos considerar alguns pontos que podem ajudar você:

  • Cuidado com as parcelas, evite-as.

  • Acompanhe seus gastos (controle).

  • Tenha no máximo dois cartões.

  • Lembre-se: cartão não é renda, é uma espécie de empréstimo.

  • Adote um critério para as compras.

  • Evite pagar o mínimo.

Bons hábitos não são privilégios de gênios ou de pessoas especiais. Todos nós podemos desenvolvê-los. Assim, comece seu planejamento agora mesmo.

#Administração #Finanças

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now