Mantendo a saúde financeira familiar



Casar é uma das experiências mais felizes da vida. Os recém-casados estão sempre animados para começar uma nova vida e ansiosos pelos bons momentos que terão juntos. É esperado que surjam momentos de desacordo, mas raramente esperam que o dinheiro, que é um dos maiores fatores para brigas e divórcio, seja o culpado.

Casais com dívidas passam menos tempo juntos, brigam mais e são menos felizes. Não se pode confundir falta de dinheiro com falta de amor. É nesse momento que o casal precisa estar mais junto e consciente sobre a saúde financeira da família. Marido e mulher devem estar atentos e buscar, como grandes parceiros, uma estratégia para sair da crise ou alcançar objetivos.

Um fato interessante é que casais nunca discutem quando o dinheiro está entrando, mas sempre quando está saindo, quando o dinheiro está curto.

É preciso estabelecer um sistema de valores baseado na Bíblia para que a área financeira não se torne um problema grave para o casal. A Palavra de Deus nos ensina em Lucas 14.27-30 que o planejamento, em qualquer situação da vida, é muito importante. Na área financeira não é diferente, ainda mais na atual conjuntura, em que somos instigados a consumir cada vez mais o que não precisamos.

Planejamento tem a ver com o futuro e não com o passado. Fazer anotações de gastos, para saber para onde vai o dinheiro, é importantíssimo, pois nos traz clareza, e clareza é poder. Quem tem clareza sabe onde é preciso cortar gastos, onde está o ralo por onde o dinheiro escorre. Mas essas anotações falam sobre algo que passou, e se queremos alcançar algo no futuro, precisamos de um bom planejamento. O que podemos planejar? Planejamos nossa viagem de férias, aposentadoria, independência financeira, cursos, o carro novo, etc.

Quando se trata de sonhos e objetivos dentro do casamento, há aqueles que são do homem, os que são apenas da mulher e os da família. Por exemplo, o homem pode ter o sonho de comprar um celular novo, e a mulher, uma bolsa nova. Esses são objetivos individuais. Um exemplo de objetivo familiar poderia ser a compra de uma televisão para a sala ou até mesmo a aquisição de uma casa. O casal tem objetivos individuais, mas é preciso haver metas comuns, que geram força quando os dois passam a economizar juntos.

O dinheiro precisa ter um propósito. Quando um casal entra em crise financeira, na maioria das vezes é porque não havia nenhum propósito para o dinheiro e gastos desnecessários foram surgindo. Se desejamos ter mais dinheiro, é preciso aprender a respeitar o que temos, o que Deus nos deu, não podemos desperdiçar. O dinheiro é intolerante, e se não cuidarmos bem dele, ele vai embora e não volta mais.

Muitos casais não sentam para falar sobre dinheiro, mas é necessário desenvolver o hábito de conversar frequentemente sobre finanças. Saber qual é a renda da casa, quais dívidas estão em atraso e principalmente quais são os sonhos e os objetivos de cada um é fundamental não só para o sucesso financeiro, mas também para o sucesso do casamento.

Eu parto do princípio de que quando duas pessoas se casam, elas se tornam uma só carne, e isso também se aplica à vida financeira. Não existe mais o meu ou o seu dinheiro, e sim o nosso; são os nossos problemas e as nossas vitórias. O que vejo às vezes são casais dividindo as contas da casa, só falta dividirem a conta da pizza no restaurante. Ter conta em conjunto facilita o controle financeiro, e ambos podem ter a clareza da realidade financeira.

E quem deve cuidar do dinheiro? O homem? Quem ganha mais? Eu acredito que é aquele que lida melhor com finanças, que economiza mais, que é mais organizado, não necessariamente o homem ou quem tem o maior salário.

Outra coisa importante a ser analisada são as prioridades do casal. Talvez seja a pizza de sexta-feira, fazer o cabelo e a unha semanalmente, a escola das crianças, assistência médica, etc. Às vezes é melhor ter uma estrutura mais simples e manter o que é importante para o casal. Eu e minha esposa, por exemplo, nunca fizemos questão de comprar um carro zero-quilômetro, mas gostamos de uma casa confortável, aconchegante. Nós não abrimos mão de quase diariamente tomarmos um bom café em alguma cafeteria da cidade. Nem sempre é possível manter tudo, então será preciso abrir mão de alguma coisa.

Há pessoas que têm um padrão de vida que não podem sustentar por muito tempo, a conta parece nunca fechar, e quando surge algum imprevisto e há a necessidade de diminuir esse padrão, surgem as discussões. Temos de ter um padrão de vida coerente. Precisamos ser sensatos e equilibrados, pois somos mordomos, como disse Jesus em Lucas 12.42-46. Tudo o que somos e possuímos pertence a Deus. Sabendo dessa verdade, devemos, então, viver como bons mordomos, administrando bem o que é do Senhor.

Aprenda a investir tempo com o planejamento e controle financeiro da sua família. Desenvolva o hábito de conversar e planejar com seu cônjuge. Orem pelas metas individuais e familiares. Parem de se comparar com pessoas que têm o que vocês não têm. Sejam gratos pelo que têm. Agradecer a Deus pelo que temos é gratidão, mas agradecer pelo que ainda não temos é fé. Deus não nos chamou para sobreviver, e sim para prosperar e ter abundância em todas as áreas, incluindo as finanças.

O que você pode começar a fazer hoje junto com seu cônjuge para mudar sua condição financeira?

#Finanças #Administração

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now