Ensina a criança no caminho em que deve andar...



O texto de Provérbios 22.6 parte de uma perspectiva fundamental: o papel dos pais é ensinar os filhos! Por isso, é fundamental você conhecer a Palavra do Senhor, ter intimidade com os textos bíblicos, viver essa Palavra para que possa ensinar seus filhos. Assim, voltando à primeira parte do versículo, você deve ensinar seus filhos a administração financeira. Quero desafiar você a ler com eles o livro de Provérbios grifando cada texto que fala sobre recomendações para a vida financeira, como, por exemplo, “ganhar”, “onde gastar”, “cuidados para não ser fiador”, não gastar o dinheiro com “pessoas fora do lar”... A leitura da Bíblia com seus filhos poderá reforçar o que você vive em casa como marido e mulher. Ensinar a criança é testemunhar o que vivemos. Assim, quero trabalhar com você alguns ensinamentos.

O primeiro é ser fiel nos dízimos e ofertas. Você é um(a) dizimista fiel? Ensine seus filhos que tudo o que temos e somos pertence a Deus. Ensine-os a dar o dízimo da mesada, caso recebam, e de presentes em dinheiro que possam receber dos avós, tios, padrinhos. Mostre-lhes que vocês fazem isso. Se a sua comunidade de fé utiliza um envelope para o dízimo, coloque o valor no envelope e leve seu filho até o altar do Senhor. Ele precisa ver você contribuindo na casa do Senhor. De preferência, que ele tenha um envelope dele de contribuição.

Seus filhos devem ser dizimistas desde crianças, pois quando forem adultos não darão trabalho aos seus pastores perguntando por que eles devem ser fiéis nos dízimos! Será natural para eles.

O segundo ensinamento está em saber dizer não. Não minta para seus filhos. Quando não é possível ter, comprar, adquirir, aprenda a dizer não. Ou, se isso for possível e verdade, você pode dizer: espere. Não é dando tudo que seus filhos querem que vocês provam seu amor para com eles. Ao contrário, vocês darão uma falsa ideia de que eles terão tudo o que quiserem na vida.

Alguns pais e mães, pela longa jornada de trabalho, tentam compensar sua ausência presenteando seus filhos, fazendo todas as suas vontades. Eles precisam aprender que existe um orçamento, que sua família tem prioridades. Não se martirize por isso. A Palavra do Senhor nos ensina que o Senhor “nos dará todas as coisas” necessárias para a nossa vida com dignidade e nossa salvação. Não diz que teremos tudo o que desejarmos. Se Deus, que é nosso Pai, faz isso conosco, por que você não pode educar seus filhos dessa maneira?

O terceiro ensinamento: ensine seus filhos a administrar o dinheiro deles. Em relação a isso, quero compartilhar uma experiência da infância de meus filhos. Tínhamos um apartamento na praia, e todos os anos passamos férias lá. Porém, era um desafio quando saíamos para ir à praia ou passear com eles, pois o único verbo que eles sabiam conjugar perfeitamente era comprar. Tudo o que eles viam, pediam. Na verdade, era estressante. Até que tivemos uma inspiração como casal. Chegamos ao nosso apartamento para mais um período de férias e dissemos para eles: “Este ano será diferente. Eu e sua mãe seremos responsáveis por comprar a alimentação, dois sorvetes por dia na praia, um de manhã e outro à tarde, e tem aqui um valor para cada um de vocês para este mês. O que vocês quiserem poderão comprar com este dinheiro”. Conclusão: voltavam com dinheiro para casa. Eles faziam conta, achavam que as coisas eram caras. Embora a fonte fosse a mesma, gastaram muito menos naquele ano, e assim foi nos próximos anos, pelo fato de o dinheiro “ser deles”.

Hoje há muitas pessoas que vivem uma dependência financeira dos pais. Ainda não aprenderam a importância de viver sua independência. Deixar pai e mãe não é somente no momento do casamento, mas preparar-se para viver a autonomia financeira no lar. Em alguns casos, tenho atendido até casais em que um dos cônjuges continua dependendo dos pais para pagar suas contas. Por quê? Porque não aprendeu a viver dentro de um orçamento familiar. Existem pais que estão enterrados em dívidas em função de passos errados dos seus filhos. Apoiar, amar não significa não ensinar seus filhos. Precisamos orientá-los sempre, independentemente da idade.

A sua saúde financeira é um reflexo da sua saúde emocional e espiritual. Você precisa encontrar equilíbrio, entre os sonhos, projetos e desejos, em sua realidade financeira. E esse caminho é árduo, é construído a partir de muita conversa, muito cuidado um com o outro. Não adianta enriquecer materialmente e perder tudo – saúde, família, eternidade. Assim, recomendo a você: prepare seu orçamento familiar. Construa uma saúde financeira.

O quarto ensinamento: seja realista. Trate seu orçamento com verdade em sua família. Recentemente meu filho mais velho, que é solteiro, disse: “Pai, estou pensando em deixar meu emprego”. Eu disse a ele: “Filho, sua cama, seu quarto e sua alimentação estão garantidos, mas não posso lhe oferecer o padrão de vida que você vive hoje. É melhor sempre estar empregado. Sair de um emprego e, se possível, já começar em outro”. E assim aconteceu. Eu amo meus filhos, mas não posso passar a eles uma ilusão sobre a vida. Não minta para seus filhos, não importa a idade.

Nem sempre teremos tudo o que desejamos, na hora que desejamos. Ensinar seus filhos sobre a realidade é outra coisa importante. A próxima geração talvez já não tenha uma aposentadoria do Estado. Eles precisam começar a se preparar hoje para uma nova realidade. Precisam aprender sobre a importância de uma saúde financeira.

E o quinto ensinamento: a questão do reino de Deus. Não sei se você costuma ir a livrarias, especialmente nos grandes shoppings. Se andar por elas, vai encontrar um setor muito específico, sobre como ficar rico. Existe uma grande quantidade de títulos sobre como enriquecer, pois, de alguma maneira, esse é o apelo dos nossos dias. Até mesmo em algumas comunidades de fé, só é “abençoado” aquele que prospera materialmente. Mas isso não é verdade.

Precisamos ensinar nossos filhos que somos peregrinos aqui na terra. Podemos ter bens, uma vida confortável, um ótimo salário, uma moradia esplendorosa. Isso não é pecado, mas é pecado achar que isso é o senhor de sua vida. Preste atenção, o reino de Deus não está nestas coisas. Precisamos educar nossos filhos para entenderem que tudo o que eles têm é bênção de Deus para sua vida. E quanto mais puderem ganhar, maior será o investimento deles no reino de Deus, por meio da sua fidelidade em seus dízimos e da generosidade ao investir em missões.

Aprendemos com Jesus que “não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”. Por isso, comece hoje mesmo a educar seus filhos, não importa a idade, com princípios de fidelidade ao reino de Deus. Ensine a eles sobre orçamento familiar. Peça ajuda deles para eleger as prioridades nesse orçamento e trabalhe o conceito de “familiar”. Afinal, sua família é projeto de Deus.

Cada um desses ensinamentos pode ajudar você a ter uma vida financeira saudável. Jesus orientou no Sermão do Monte sobre a importância dos bens, mas afirmou que deveríamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, e todas aquelas coisas seriam acrescentadas. Jesus sabe das nossas necessidades, do que estamos precisando, das necessidades da nossa família.

O dinheiro é reconhecido na Bíblia como a raiz de todos os males, e é verdade, se ele nos levar em direção à corrupção, ao pecado. Quero desafiar você a um tempo especial com sua família. Leia a Bíblia com ela. Compartilhem suas bênçãos e conquistas. Ensine seus filhos que Deus “proverá” todas as coisas, testemunhando quantas vezes Ele agiu em sua vida. E trabalhem em um orçamento familiar e participativo, nas ideias, sugestões, pedidos, e de igual forma nas responsabilidades. Sua família é projeto de Deus.

#Finanças #Administração

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now