• Admin

A vida é curta demais para sermos o tempo todo infelizes



Quantas vezes ouvimos essa justificativa quando um casal se separa ou se divorcia? É claro que eu não sei como está a sua situação em particular, mas questiono as pessoas que pensam assim.

Não há dúvida de que a vida é curta. Lemos em Tiago 4.14: “Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instantes e logo se dissipa”. Diante disso, a grande questão é: o que vamos fazer com esses poucos anos que o Senhor nos dá? Vamos aceitar a filosofia do mundo, que desconhece a Deus e diz: “Comamos e bebamos porque amanhã morreremos” (Isaías 22.13) ou vamos aprender a contar os nossos dias para alcançar um coração sábio (Salmos 90.12)?

A vida é curta demais para não buscarmos a Deus e a vontade dele, que é boa, agradável e perfeita (Romanos 12.2). A Bíblia afirma que a alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10). Como é a sua vida devocional? Você conhece intimamente o seu Deus? Você está investindo em valores eternos?

A vida é curta demais para ficarmos tentando mudar de situação cada vez que nos sentimos infelizes. Você estava feliz no início do seu casamento? Quando você começou a se sentir infeliz? O seu cônjuge é feliz? Você tem investido parte do seu tempo para fazê-lo(a) feliz? Vocês têm orado juntos? Têm procurado conselho com pessoas capazes, pessoas que conhecem a Palavra de Deus? Vocês têm um grupo de apoio na igreja?

Temos todos os recursos necessários disponíveis. Será que só o seu cônjuge é o problema ou você também é responsável por ele? Se for assim, você levará esses mesmos defeitos e problemas para um novo relacionamento e logo estará reclamando novamente. A vida é curta demais para sermos o tempo todo infelizes!

A vida é curta demais para não investirmos sabiamente na vida dos nossos filhos. Vocês têm filhos? Qual será o impacto que a separação dos pais causará na vida deles? Vão sentir-se abandonados? Você terá o mesmo tempo de convivência com eles para influenciar suas vidas?

Dias atrás um amigo nos contou, com muita tristeza, que seu filho, um universitário, é ateu. Em seguida, ele disse: “Acho que é porque ele ficou muito decepcionado quando sua mãe e eu nos separamos”. Você gostaria que seu filho fosse um dos jovens que pensam: “Por que vou me casar? Jamais vi um casamento em que as pessoas são felizes”.

A vida é curta demais, e todos nós temos pessoas queridas, familiares, vizinhos e amigos que ainda não conhecem a Jesus como Salvador. Qual é o exemplo que sua vida cristã passa para eles? Infelizmente, o índice de divórcio na igreja está quase semelhante ao de casais que não a frequentam. Se nossa prática de cristianismo não funciona dentro de nossos lares, certamente não funcionará diante daqueles que ainda não creem em Jesus. Não existe um testemunho mais significativo para este mundo, que precisa de Jesus, do que o testemunho de um lar unido e afetuoso.

Deus, que ressuscitou Jesus da morte, é o mesmo que pode ressuscitar um casamento “morto”, um amor que já morreu. Nada é difícil demais para Ele. Deus é poderoso para fazer “infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós” (Efésios 3.20). Hoje é tempo de buscar a Deus!

#Separação #Divórcio

  • Twitter Clean
  • w-facebook