Os papéis de cada um no lar



Os membros de uma família ocupam papéis distintos. A indefinição de papéis pode gerar conflitos de toda ordem e comprometer o equilíbrio do lar. Não estamos falando simplesmente de quem vai lavar a louça, jogar o lixo ou trocar as fraldas dos filhos. Isto é consequência da definição dos papéis mais importantes.

A definição dos papéis começa com o conhecido texto bíblico: “Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido… Maridos, ame cada um sua mulher…” (Colossenses 3.18). Inicialmente as mulheres não gostam desse texto e os maridos se sentem orgulhosos. O texto parece apresentar o marido como o chefe, a quem a esposa e os filhos devem obediência. No entanto, quando se verifica o sentido, o significado não é tão simplista assim.

O maior peso desse texto não está sobre a esposa, mas sobre o marido. Amar é o maior papel e o mais difícil. O texto não é machista. O machismo é sem sentido, pois defende o domínio dos homens. O texto não trata sobre domínio, mas sobre amor e submissão.

A ideia central é dependência mútua ou interdependência. A submissão da esposa ao marido significa “suporte”, ou seja, ela se torna uma coluna de apoio. Como a interdependência é um caminho de mão dupla, não é possível que a esposa seja submissa se o marido não for um “suporte” para a esposa.

O maior suporte que a mulher precisa é o amor, por ser mais emocional, e isso facilita o ato de ela dedicar-se ao marido e à família. Quem ama dedica sua vida à pessoa amada. Qual é a mulher que é amada e não se dedica totalmente? Amar é mais difícil que se submeter, pois o amor vai além da submissão. É por isso que não há lugar para o domínio. Quem domina trata com rudeza.

Os filhos são resultado da relação de amor e interdependência dos pais. Baseados no exemplo de respeito e amor dos pais, os filhos devem obedecer-lhes. O papel dos filhos no lar é o reflexo dos pais em sua vida. Alan Redpath relata que, quando criança, viu seu pai proferir palavras duras contra a mãe e depois lhe pedir perdão. Ele afirma que naquele dia pediu que Deus o fizesse igual ao pai. Esse é o exemplo.

Pais que não se amam irritam seus filhos. A verdadeira correção gera humildade, mas a ira produz amargura. A ira também exclui o valor e a coragem, destruindo sentimentos. A obediência dos filhos aos pais demonstra amor, mas esse amor só pode existir quando é recíproco. A vida familiar prazerosa ocorre quando cada um cumpre seu papel. Veja na tabela ao lado uma demonstração prática do papel de cada um no lar.


#Casamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now