• Admin

Dicas úteis para o trato com o dinheiro



Albert Einstein disse: “Tente não se transformar num homem de sucesso, e sim em um homem de valor”. O tema de finanças em família é muito vasto e tem sido um assunto de difícil manejo em muitas casas. A Bíblia é repleta de textos sobre a maneira como devemos tratar este assunto. Por exemplo: “O amor ao dinheiro é raiz de todos os males” (1 Timóteo 6.10). Em uma sociedade capitalista, vale todo esforço para ascender na vida. Isso em si não é mau, mas amar o dinheiro, a cobiça, é muito nocivo.

Postos profissionais são almejados como a grande oportunidade de crescimento. Entende-se que qualquer esforço é válido para subir na vida. Entretanto, é importante, dentro do lar, construir uma relação saudável com o dinheiro para que ele não assuma uma posição inadequada e antibíblica. Aqui estão algumas dicas úteis para o trato com o dinheiro:

O dinheiro é um meio e não um fim em si mesmo. O ditado popular ensina: “O dinheiro é um bom servo, mas um péssimo patrão”. Não seja escravo do dinheiro, não se mate para obtê-lo. A Bíblia ensina que Deus dá aos seus filhos enquanto dormem (Salmos 127.2). Ele acrescenta, ele dá.

Honre a Deus em primeiro lugar. O fruto de nosso trabalho hoje é recompensado por algumas notas de papel. Quando as receber, honre primeiro a Deus. É uma questão de prioridade. “Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações” (Provérbios 3.9). Isso trará bênção a sua casa.

Ame as pessoas e goste das coisas. Ensine seus filhos a valorizar as coisas simples da vida. Não os encha de tudo o que eles querem. Ensine o valor do dinheiro, pois cada coisa tem um custo. Ensine-os a merecer as coisas que desejam com tarefas premiadas, por exemplo: guardar suas roupas, arrumar a cama, limpar o banheiro, e os recompense com algum dinheiro. Assim, compreenderão que conquistar o que se deseja requer esforço.

Seja generoso. Além de agradar a Deus, a generosidade é uma expressão de amor. Crie situações em que as pessoas de sua casa possam repartir o que têm com outros, como roupas e brinquedos. Por exemplo: crie um dia por mês para abençoar alguém doando ou fazendo coisas para os mais necessitados. Isso desenvolverá um senso altruísta em sua família.

Invista em projetos que abençoam. Destine parte dos recursos que Deus entregou em suas mãos a missões e a projetos de transformação de vidas. Esse ato é uma semeadura, que devolve à sociedade e às pessoas um pouco do que você administra. Há milhares de bons e sérios projetos que carecem de investimento. Lembre-se de fazer seus recursos abençoarem não só a sua família, mas outras pessoas que estão precisando.

Não seja consumista. Os apelos para vendas estão em todos os meios de comunicação tentando fisgar o desatento. Pergunte-se: preciso mesmo deste produto? Consigo sobreviver sem ele?

Decida viver abaixo do que ganha. Estabeleça uma filosofia de poupar parte dos recursos. Esta maneira de viver está presente em todos os países do primeiro mundo. Aprenda a salvar e a poupar para o futuro e projetos novos. Não seja perdulário. Desenvolva a gratidão. Pergunte a si mesmo: tenho gratidão pela vida que Deus me deu? Sou grato pela minha família, pela casa, pelo prato de comida? Ser grato a Deus nos leva a reconhecer a fonte de todos os recursos: Jeová Jireh.

#FinançasemFamília

  • Twitter Clean
  • w-facebook