A graça lhe proporciona a liberdade de escolher o modo como realizar as coisas



Você não me entende! Como alguém pode ser complicado desse jeito? Somos muito diferentes! Realmente, as diferenças entre o homem e a mulher são muitas: na forma como se comunicam; no jeito de pensar; na forma de expressar o que sentem, como amam. Esses são alguns exemplos que podemos citar.

Nenhum ser humano é igual ao outro, todos somos diferentes uns dos outros, pois o ser humano é único. Também é assim em um relacionamento conjugal. É normal que as diferenças apareçam trazendo marcas que acabam impondo desejos que fazem expressar interesses pessoais. Tentamos colocar o cônjuge em uma forma que consideramos ideal. Afinal, são duas personalidades que viveram contextos, cultura e educação diferentes e agora, em determinado momento, decidiram viver juntas.

Por isso é extremamente importante ter em mente que aceitar conceitos diferentes não é ignorar nossa própria identidade e liberdade, e sim compreender a vida e o que o outro está enxergando e vivendo. Mas para isso acontecer e melhorar a cada dia é necessário entender que a graça de Deus nos proporciona a liberdade de escolher o modo como realizar as coisas, ou seja, para o relacionamento conjugal dar certo a cada dia, é preciso fazer algo do jeito do outro e não do meu. Foi assim que Jesus demonstrou querer fazer a vontade do Pai e não a d’Ele quando disse: “Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua” (Lucas 22.42).

Em um relacionamento conjugal, encontramos situações que temos de administrar para que o ambiente não se torne um campo de batalha. Mas para que a parceria conjugal dê certo, é necessário muito mais que um esforço humano; é necessário entender que a graça de Deus nos dá liberdade de escolher o modo como vamos agir no dia a dia. E para alcançar uma parceria conjugal satisfatória, é fundamental viver debaixo da graça de Deus. Nesse sentido, precisamos da graça de Deus em nossa vida. Precisamos abrir mão de tudo o que a cultura secular oferece e deixar que a graça de Deus invada nosso coração e seja transferida para o casamento.

Falando da graça do Senhor, Paulo escreve em Efésios 2.8: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”. A graça que Deus nos concede nos dá liberdade, que está presente desde o momento da nossa conversão. Vivendo debaixo dessa graça, nunca faltarão no relacionamento conjugal, entre outras coisas, amor, respeito, companheirismo e fidelidade. À medida que cada um dos cônjuges aprofunda seu relacionamento pessoal com Deus, eles passarão por um processo de experiências que os aproximará mais um do outro, fazendo com que assumam um compromisso de satisfazer a necessidade do outro. Assim, em vez de brigar por seus interesses pessoais, o cônjuge agirá com consenso para chegarem a um resultado que seja satisfatório e feliz para ambos.

Para concluir, em um relacionamento conjugal debaixo da graça de Deus, o cônjuge, em vez de esperar que as suas necessidades sejam satisfeitas, vai procurar satisfazer as do outro. Isso é graça! Entenda que o suprimento das necessidades do outro é prova de seu amor. Isso é graça!

A graça de Deus no casamento fará com que cada cônjuge seja mais tolerante com os defeitos do outro; fará com que se coloquem um no lugar do outro; fará com que tratem melhor um ao outro; fará com que ofereçam sem esperar receber em troca e principalmente perdoar mesmo quando o perdão não é solicitado. Isso fará com que cada um atente para o cuidado do outro, o que proporcionará um sentimento de valorização, que, por sua vez, terá uma reação, tendo em vista uma retribuição do amor um para com o outro.

#Graça

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now