• Admin

Os opostos se atraem?



Você já escolheu seu futuro esposo ou esposa? Quais são os seus critérios para essa escolha? Certa vez, estava em um casamento, como padrinho, e fui surpreendido pelo pastor que conduzia a cerimônia. Ele se dirigiu à noiva e disse: “Tenho certeza de que você orou para se casar com um crente, certo?”. Então ele mesmo respondeu:

“Crente até o diabo é, crê e treme na presença do Senhor. O que você precisa é encontrar um discípulo do Senhor!”. A partir dessa experiência, pergunto: o que tem motivado sua procura ao pensar em alguém para dividir sua vida, seu futuro, seus sonhos e projetos?

Em geral, aprendemos que “os opostos se atraem”, mas é preciso ter cuidado, pois o casamento é para a vida inteira; continuo acreditando no “até que a morte os separe”! Assim, algumas áreas devem ser levadas em consideração quando se vai escolher alguém para dividir os sonhos e a vida por meio do casamento. Tenho ministrado sobre casamentos e cito que existem áreas mais fortes em termos de possibilidades de conflitos:

dinheiro, comunicação, hábitos pessoais... Por isso, ao escolher, preste atenção.

A primeira área que destaco é a financeira. O casamento não pode ser comparado a um sistema de condomínio, em que cada um assume uma despesa da casa. Cuidado com a história do “meu dinheiro e o seu dinheiro”. Se não houver uma compreensão de renda familiar, seu casamento está fadado a muitas crises nessa área. Um casal que pretende viver uma união, mas são opostos, pode de fato gerar uma tragédia. Ou os opostos podem se completar, caso um aceite a ajuda do outro. Por exemplo, se um gasta mais e o outro é mais econômico, eles podem se ajudar e crescer juntos. O casamento é um espaço de construção de sonhos, mas suas realizações, em alguns momentos, passam pela vida financeira.

A segunda área é a comunicação. Quando estamos apaixonados, namorados, noivos, temos grande dificuldade em ver defeitos no outro. Comunicação no lar é um desafio. Preste atenção como ele ou ela trata seus pais, como eles se comunicam no lar. A forma como eles se relacionam em casa poderá se refletir em seu casamento. “Ah, ele vai mudar, ela vai mudar…” Será? Não temos o poder de mudar ninguém; mudanças acontecem se houver desejo de mudar. Para isso, é preciso uma consciência da necessidade de uma comunicação saudável. Dialogar é um grande desafio, mas é possível. Busque formas criativas de falar e ouvir, estratégias para viabilizar a construção do casamento. “Duas pessoas andarão juntas se não estiverem de acordo?” (Amós 3.3). Seja na área financeira ou na comunicação, o casamento é construído com acordos.

A terceira área é a dos hábitos pessoais. Muitas vezes achamos que o outro ser, totalmente diferente, é maravilhoso... Mas o casamento deve ser um espaço de mudanças mútuas. Tenho insistido: não casamos para ser felizes, mas para fazer o outro feliz. Nos aconselhamentos, costumo brincar com os noivos: “Viram os defeitos? É daí para pior”. Depois dos risos, compartilho com eles que os hábitos pessoais, as manias, tendem a ficar mais acentuados a cada ano que passa. Certos hábitos poderão não mudar, por isso preste atenção. Não mudamos ninguém no casamento. As pessoas podem mudar se desejarem mudar, se buscarem ajuda para isso, até mesmo se reconhecerem a necessidade de mudança.

Ligadas aos hábitos pessoais estão as expectativas dos papéis no lar. Compreender a cultura da formação familiar é fundamental, por isso, ao se preparar para o casamento, avalie como é sua família, o papel do pai, da mãe, como é a família dele ou dela, como eles se organizam como família. Depois, reflitam como vocês vão viver como marido e mulher, o papel de cada um na formação familiar. Quando os filhos chegarem, será um novo tempo, de novos ajustes e novo aprendizado.

A sua estrutura familiar deve ter como parâmetro a Palavra de Deus, os critérios de um homem e uma mulher que têm o caráter de Cristo. Como casal e individualmente vocês precisam procurar se parecer a cada dia com Cristo. Os opostos se atraem, mas devem se completar, transformar e crescer. Creia, o casamento é propósito de Deus. A família está no coração de Deus.

Duas dicas: • Tenho atendido inúmeros casais, e muitos poderiam não estar passando por alguns problemas se tivessem se preparado melhor para o casamento. Assim, um curso de noivos e o acompanhamento pastoral são indispensáveis no período de preparação para o casamento. • Faça com seu namorado ou noivo, em um papel, duas colunas e liste dez qualidades e cinco limitações do outro e depois avaliem como isso pode impactar o sonho e o projeto do casamento. Veja se o outro concorda com sua avaliação e comecem uma boa conversa. Leiam textos bíblicos e livros voltados para a construção de um casamento.

#Casamento #Namoro

  • Twitter Clean
  • w-facebook