É possível brigar, mas vamos brigar limpo



“Quando a pessoa se sente compreendida, ela se abre e se faz compreender melhor” (Paul Tournier)

Comunicar com habilidade não é tarefa das mais simples entre os seres humanos. Muitos diálogos, que começaram mansos e tranquilos, terminaram em discussões acaloradas e até em agressões físicas, inclusive no ambiente familiar. Neste nosso mundo rápido, do qual esperamos soluções instantâneas, nos irritamos quando expressamos o que pensamos e sentimos e não somos entendidos e atendidos de imediato. Nosso mundo é líquido, nas palavras do sociólogo Zygmunt Bauman, e num mundo líquido, muita coisa importante escorre entre os nossos dedos, o que acaba aumentando a ansiedade nas relações entre as pessoas. E a comunicação não foge à regra. Nem sempre nos comunicamos bem, pois geralmente somos superficiais ao expressarmos ideias e sentimentos no processo de enviar e receber informações.

Que elementos atrapalham a comunicação na família e quais podem facilitar nosso entendimento? Sem ter a intenção de dar a última palavra no assunto, é possível perceber que algumas ações prejudicam diretamente a saúde de nossa comunicação e outras podem fazer com que a troca de ideias e sentimentos no ambiente familiar dê um salto de qualidade.

Vamos chamar os elementos que atrapalham a boa comunicação de briga suja, e os elementos que ajudam a boa comunicação de briga limpa.

A briga suja – É comunicar com preconceito, buscando controlar o outro, usando estratégias prontas, sentir-se superior na discussão e especialmente pensar que já tem a resposta pronta. Nessa briga não há espaço para diálogo (dia + logos = palavras através de). Diálogo é um fluxo de palavras que trafega entre as pessoas que conversam, não é a exposição de fatos entre duas partes. Se um lado está bloqueado, é intransigente e tem absoluta certeza de que apenas seus pensamentos e sentimentos são corretos, essa será uma briga suja, provocará uma competição constante, e no final um lado entenderá que venceu e o outro se sentirá derrotado, gerando rancor e outros maus sentimentos. Mas, na verdade, ambos fracassaram na tentativa de encontrar a melhor solução.

A briga limpa – Começa com a autoestima elevada e leva as partes a “negociar” as diferenças de forma construtiva, sem abrir mão de convicções e valores. Procura, de forma desarmada, ouvir com o ouvido e com o coração a fala e o sentimento do outro, observando as vantagens e desvantagens possíveis para o assunto em discussão. É a busca por uma terceira opção, em geral não percebida pelas partes em diálogo, mas que será encontrada se for buscada de forma adequada. Após uma briga limpa, as partes envolvidas podem experimentar profunda satisfação e um crescimento significativo no processo de comunicação.

Conta-se a história de um casal que recebeu a notícia de que seus parentes, que moravam em outra cidade, iriam passar o Natal com eles, mas a casa deles ainda não tinha um ambiente adequado para receber tanta gente. A mobília era pequena, tendo como relíquia o sofá novo. O marido então sugeriu que o jantar fosse no estilo americano. Cada um faria seu prato e encontraria um lugar na casa para jantar. A esposa rejeitou essa ideia: “De jeito nenhum, as crianças vão derramar comida e bebida no meu sofá novo; vamos para um restaurante”. O marido disparou: “Nem pensar. Na véspera de Natal os restaurantes estão lotados e é tudo muito caro”. Então começou a discussão. Nenhum dos dois abriu mão da sua opinião, até que a esposa ironicamente disse: “Então vamos fazer na rua”. O marido disse: “Bonito, o que os vizinhos vão dizer?”, e a esposa retrucou: “Se forem os vizinhos da frente, nada, porque eles vão viajar”. Eureca! Uma luz brilhou sobre a cabeça dos dois, que pensaram em conversar com o vizinho, que possuía um espaço grande com uma mesa enorme. Após a conversa, o jantar aconteceu na casa do vizinho, e ambos ficaram satisfeitos. Eles brigaram, mas brigaram limpo e cresceram na relação por meio do processo de comunicação, que é complexo e incompleto, mas possível de acontecer quando desejamos o melhor para todos. Provérbios 15.1 diz que “a resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Este é um excelente referencial para uma comunicação sadia.

Desafio para 2017: que tal só entrar em brigas limpas nas discussões com seu cônjuge nesse novo ano? Que o Senhor, com a sua graça, nos ajude no desenvolvimento de nossa comunicação.

#Comunicaçãoação #Comunicação

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now