Antes de decidir, pergunte a Deus



Durante os anos de adolescência e juventude, a decisão mais importante, aquela que certamente influenciará sua vida nesta terra e por toda a eternidade, é a escolha de comprometer-se com Jesus Cristo e segui-lo por todos os seus dias.

A segunda decisão mais importante, se a pessoa decidir casar-se, é a escolha do futuro cônjuge. Não há dúvida de que essa decisão também impactará intensamente todas as áreas da sua vida. As consequências de uma decisão equivocada podem ser desastrosas para a pessoa e para sua futura família. Quantas vezes jovens casados, que fizeram a escolha errada, têm compartilhado comigo, chorando, que estão sofrendo muito por causa disso. Suas explicações sobre a razão de terem tomado uma decisão precipitada são diversas:

• Eu me tornei um filho pródigo; • Eu me afastei do Senhor durante um tempo; • Eu caí em tentação; • Eu me afastei da Palavra de Deus; • Eu não aceitei os conselhos dos meus pais e conselheiros.

É muito perigoso tomar uma decisão tão importante quando esquecemos nosso primeiro amor, Jesus, e nos deixamos influenciar por “amigos” que nos levam para longe dos caminhos do Senhor. A obediência à Palavra sempre traz a bênção de Deus. Se o jovem quer ter um casamento abençoado, é fator determinante seguir os conselhos de Deus. A Bíblia nos ensina como podemos tomar decisões corretas e como seguir a vontade de Deus. Quando o povo de Israel estava pronto para entrar na terra prometida, Deus escolheu Josué, um discípulo de Moisés, para ser seu líder. Josué lançou um desafio ao povo: “Portanto, agora, temam a Deus, o Senhor. Sejam seus servos sinceros e fiéis. Esqueçam os deuses que os antepassados adoraram... eu e a minha família serviremos a Deus, o Senhor (Josué 24.14-15 – BLH).

No início, Israel se comprometeu a servir o Senhor, porém, com o tempo, o povo começou a tomar decisões erradas porque permitiu ser influenciado por costumes e religiões dos povos ao seu redor.

Daniel, vivendo longe de sua terra, feito prisioneiro e servindo a um rei que não temia a Deus, precisou tomar algumas decisões importantes em sua vida. Lemos em Daniel 1.8 que ele “... resolveu que não iria ficar impuro por comer a comida e beber o vinho que o rei dava”. Contestando a determinação da autoridade suprema daquele lugar, Daniel decidiu honrar e obedecer ao Senhor, e isso não aconteceu somente em uma ocasião, mas em outras também.

Deus abençoou grandemente a sua vida. O jovem Daniel foi escolhido para assumir uma posição de alta liderança não só no governo desse rei pagão, mas de vários outros, e sempre fazendo sobressair seu testemunho como servo de Deus.

Lembre-se de que muitas vezes decisões corretas são difíceis de ser tomadas. Tentações atraentes podem conduzir ao pecado. Podemos ter de pagar um alto preço em troca de alguns momentos de alegria.

Durante mais de cinquenta anos de ministério no Brasil aconselhei milhares de jovens. Acredito que, com esse aval, ganhei suporte para orientar jovens que estão prestes a iniciar um namoro, noivado ou casamento. Acima de tudo, é claro, tenho a autoridade da Palavra de Deus. Minha oração é que alguns desses conselhos possam apontar a direção aos jovens nessa área.

1. Não tome decisões importantes quando você não está em comunhão com o Senhor. Um irmão, muito meu amigo, está passando por sérias crises em seu relacionamento conjugal. Ele me confessou que tem andado longe do Senhor. Ele namorou e casou com uma moça que não conhecia a Jesus Cristo como Salvador e Senhor da sua vida. Hoje ele se preocupa muito com os filhos por causa da influência da mãe, que nem sempre é positiva.

2. A Palavra de Deus deve ser seu guia nas decisões cruciais de sua vida. Leia, estude e medite na Palavra. Ela é vida para quem a procura, para quem a encontra. Quando eu tinha 18 anos e estava na faculdade, escrevi em algumas páginas da minha Bíblia: “A Palavra de Deus me afastará do pecado ou o pecado me afastará da Palavra de Deus”. Leia o testemunho do jovem Davi em Salmos 119.11. Um dos princípios básicos sobre o namoro está em 2 Coríntios 6.14: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos...”. Poderia ser mais claro?

3. No processo de escolha de seu futuro cônjuge este é meu conselho: ore, ore e ore. Ore com seus pais. Ore com seus amigos. Ore com seu pastor. Ore com a pessoa que você pretende namorar. Gostaria de sugerir que você dedicasse ao menos um mês de oração antes de tomar essa decisão tão importante.

4. A Palavra de Deus nos diz: “Na multidão de conselheiros há segurança”. Quais são as pessoas que fazem parte da sua “multidão de conselheiros” particular? Seus pais? Seus amigos cristãos que mantêm comunhão com o Senhor? Escute bem o que eles têm a dizer. Se eles têm dúvidas quanto à sua escolha, espere, pise no freio. Não tenha pressa.

5. Sugiro um período de pelo menos três meses de o que eu chamo “amizade profunda”. Um tempo separado para orar, conviver com a pessoa, procurar observar como ele(a) age e reage em atividades saudáveis para que, assim, os dois possam conhecer melhor um ao outro. Durante esse período é importante orar juntos. Conheço casais que não fizeram isso uma única vez durante todo o seu namoro e noivado. Que triste! Se ambos não desenvolverem essa prática no namoro e noivado, provavelmente não terão esse hábito durante o casamento.

6. Esteja certo(a) de o que você sente por aque-la pessoa é real-mente amor verdadeiro (1 Coríntios 13.4-5) E não simplesmente uma paixão romântica, uma fascinação, uma atração física, um impulso sexual. Em meu livro Eu amo você, reservei um capítulo exatamente sobre a diferença que existe entre amor verdadeiro e paixão romântica. Você conhece a diferença? Jamais uma pessoa deve se casar baseada somente na paixão. Ela acaba. Ela não mantém um casamento por seis meses!

7. Não tome uma decisão de tal importância somente para agradar outra pessoa. Refiro-me especialmente aos pais. Por exemplo, o pai ou a mãe que não conhecem os princípios bíblicos e não têm valores cristãos podem querer que sua filha se case com um homem apenas porque ele pode lhe garantir segurança financeira.

8. Não se envolva em um namoro ou, pior, casamento antes de resolver qualquer tipo de conflito que se interpuser entre vocês. Suponhamos que seu namorado ou noivo tenha um relacionamento turbulento com o pai. Há amargura, ressentimento e até ódio entre eles. A graça de Deus precisa intervir nessa situação antes de você se decidir pela evolução do relacionamento. Se vocês iniciarem um casamento sem esse conflito ter sido resolvido, pode ser que quando surgir um desentendimento, a raiva ou a amargura do marido em relação ao pai seja projetada na esposa. Conflitos não resolvidos também na área de finanças podem ser usados nas mãos do diabo para criar desconfianças e contendas entre o casal. Sempre recomendo aos noivos que estudem os princípios a respeito de finanças antes de se casarem. Na minha apostila do curso “Família, Ideia de Deus” há um modelo de orçamento familiar que pode servir como ponto de partida para o casal nessa área. Certamente, um bom diálogo sobre o assunto os poupará de muitos desentendimentos no futuro. 9. Uma boa escolha de um futuro cônjuge exige maturidade. Geralmente, os jovens com 15, 16 anos não sabem o que querem. As características que eles(as) admiram quando têm essa idade não são necessariamente as mesmas que admirarão quando forem mais velhos. Por isso, uma jovem de 16 anos de idade ou um rapaz de 18 anos deve namorar durante 3, 4 anos para amadurecer e estar convicto da escolha.

10. Em meus seminários sobre “Na-moro, Noivado, Casamento e Sexo”, tenho dialogado com a juventude sobre as qualidades positivas de um futuro marido, futura esposa. Eu desenvolvi esse estudo depois que minha filha Melinda, ainda na adolescência, me perguntou: “Pai, o que é um bom homem, um homem de Deus?”. Depois de refletir, preparei uma lista com doze qualidades importantes:

Retrato de um Rapaz Atraente 1. Tem Jesus como Salvador e Senhor de sua vida. 2. Tem uma vida espiritual com Deus. 3. É sensível às necessidades da sua namorada. 4. Tem disposição de comunicar-se, dialogar com ela. 5. É consciente da potencialidade, dons, capacidades e talentos da namorada e encoraja-a a desenvolvê-los. 6. Assume uma liderança carinhosa e firme em seu relacionamento. 7. É um rapaz honesto, íntegro. 8. Respeita e honra seus pais. 9. Possui alvos na vida e caminha decididamente para alcançá-los. 10. É um rapaz humilde. 11. Tem boas maneiras. 12. Não força a namorada a mudar seus padrões na área do relacionamento físico.

E, claro, depois precisei desenvolver uma lista de qualidades positivas de uma garota para que os rapazes tivessem uma ideia de como escolher sua futura esposa:

Retrato de uma Garota Atraente 1. Tem Jesus como Salvador e Senhor de sua vida. 2. Tem uma vida espiritual com Deus. 3. Respeita e honra seus pais. 4. Sabe ouvir atentamente e sabe guardar segredos. 5. É comunicativa, mas não é “faladeira”. 6. Vê a potencialidade do namorado e o encoraja a desenvolvê-la. 7. É companheira e amiga. 8. Tem o hábito de orar. 9. É carinhosa. 10. Sempre que necessário sabe seguir a liderança do namorado. 11. É cuidadosa com a aparência – é feminina, mas não fica se esforçando excessivamente para provar isso. 12. Tem interesse sincero pelas pessoas.

Jovem, Deus tem um plano maravilhoso para você. O Senhor está mais interessado na pessoa com quem você vai se casar do que você mesmo. Espere n’Ele, pois Ele tudo fará: “Agrada-te também do Senhor, e ele satisfará o desejo do teu coração” (Salmos 37.4).

Deus me deu esse versículo quando eu estava inquieto e inseguro em relação a essa área de minha vida. Deus não falha. Ele prometeu que vai satisfazer seus desejos. Tenha certeza de que seus desejos estão sob a aprovação dos padrões de Deus e espere n’Ele. Deus sabia exatamente que tipo de esposa eu precisava e me deu Judith, três filhas e três lindos netinhos. Como Ele é fiel! Judith e eu estamos para celebrar 52 anos de casados.

Ele será fiel com você também. Basta confiar e esperar n’Ele.

#Namoro

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now