As cinco linguagens do amor



Há alguns anos, eu e Erika lemos o livro As cinco linguagens do amor – como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge, de Gary Chapman. Acredito que esse livro marca demais a vida a dois e em família.

Chapman diz que, na nossa infância, a formação é a primeira linguagem de amor que aprendemos. Muitos crescem com a autoestima alta, outros com baixa. Todos nós temos necessidades de nos sentirmos amados; nosso tanque de amor precisa estar sempre cheio. Nós fomos criados num ambiente em que aprendemos a linguagem do amor, do emocional, seja ela qual for. Por isso, devemos nos conscientizar de que podemos ter sido criados num ambiente em que a linguagem emocional era o chinês e a do nosso cônjuge era o francês. Assim, será muito difícil a compreensão porque nos comunicamos com a linguagem paterna e num primeiro momento esperamos, sem nos dar conta, que nosso cônjuge saiba exatamente o que estamos comunicando. Chapman diz: “Devemos estar dispostos a aprender a primeira linguagem do amor de nossos cônjuges, se quisermos comunicar o amor de forma efetiva”.

Ele apresenta as seguintes linguagens:

1. Palavras de afirmação; 2. Qualidade de tempo; 3. Receber presentes; 4. Formas de servir; 5. Toque físico. Na primeira linguagem, percebemos que a necessidade básica do ser humano é ser apreciado, por isso, no casamento, precisamos lidar com as palavras que são boas para o nosso crescimento como casal. Precisamos dedicar alguns tipos de palavras para o crescimento do nosso relacionamento afetivo com nossa(o) esposa(o), e Gary sugere palavras elogiosas. Lembro-me do texto de Provérbios 12.25: “A ansiedade no coração deixa o homem abatido, mas uma boa palavra o alegra”.

É evidente que, quando recebemos um elogio, ficamos mais dispostos a retribuir a gentileza recebida. Precisamos, como casais e família, inspirar coragem nos momentos de instabilidade, de insegurança e de medo. Como? Com palavras de elogio e de encorajamento. Minha esposa se sente importante quando eu falo bem dela, ou de alguma ação preciosa que ela fez, ou de alguma roupa que ela está usando que a deixa mais bonita e elegante. Ela vai ao céu!

Se quisermos amar um ao outro, precisamos saber como fazê-lo. Para isso, podemos, sem dúvida alguma, aplicar tanto em nosso casamento como com os filhos e amigos. Precisamos produzir palavras bondosas, elogiosas e encorajadoras. Porque uma palavra dita de maneira bondosa evita conflitos, crises, dores e perturbações na caminhada afetiva. Uma palavra dita com graça produz vida e crescimento naquele que nos ouve.

A segunda linguagem mostra que precisamos dar credibilidade à comunicação do nosso cônjuge, viver as palavras que ele fala. Quando não damos o coração na recepção da comunicação, prejudicamos o relacionamento em todos os níveis. Aliás, acho que uma pergunta que devemos fazer sempre para os noivos é: vocês estão dispostos a se comunicar até a morte?

A eficácia da comunicação é preciosa para o relacionamento a dois. Os homens precisam aprender a perguntar mais para a esposa como foi o dia dela, como está seu coração, como estão suas lutas e dificuldades, como está o planejamento no trabalho, na faculdade, etc. A arte de se comunicar faz a diferença na vida do homem e da mulher.

Quando fala sobre a qualidade do tempo, Chapman chama a atenção para o aspecto central, que é estar próximo, e isso não quer dizer que é uma simples proximidade. O estar junto tem a ver com o focalizar a atenção para o outro. Então, o que significa essa qualidade de tempo?

Significa estar junto; não significa olhar nos olhos um do outro o tempo todo. Quer dizer, fazer coisas juntos e conceder atenção total a quem está conosco. A atividade feita em conjunto é secundária. A atividade é o veículo que proporciona o sentimento de interação. Então, o importante no fato de um pai chutar a bola com o filho ou levar a filha para tomar um sorvete não é a atividade em si, mas as emoções suscitadas entre eles. Outro detalhe para o qual Gary Chapman chama a atenção é a conversa de qualidade. A linguagem da qualidade de tempo possui vários dialetos, e um deles é a conversa de qualidade, que nada mais é que a existência do diálogo acolhedor, em que duas pessoas compartilham experiências, pensamentos, emoções e desejos de forma amigável e sem interrupções.

A terceira linguagem mostra o símbolo visível do amor. O presente é algo que podemos segurar nas mãos e dizer: “Ele pensou em mim”, “ela se lembrou de mim”. Existe um grande sentimento e desprendimento de tempo e disposição no ato de dar um presente, desde a iniciativa até a entrega. Presentes são símbolos visuais do amor; os símbolos possuem valores emocionais. Chapman fala do presente da presença, que é de valor inigualável. A presença em tempo de crise é o maior presente que se pode dar a um cônjuge.

Percebo no exercício dessa linguagem que precisamos nos doar mais para o nosso cônjuge, lembrar mais dele com o presente envolvendo o lado financeiro e a presença ao lado. Vivemos dias difíceis, em que trabalhamos demais, não temos tempo para estar presente nem para dar presentes para aqueles que amamos. É necessária uma reflexão nesse aspecto da nossa vida.

A quarta linguagem pode ser a mais variada possível: preparar uma refeição especial, uma mesa bem arrumada, lavar a louça para a esposa, passar o aspirador, lavar o banheiro, o carro da esposa, limpar a sala, etc. Jesus deu um exemplo profundo aos seus discípulos sobre o servir ao próximo quando ele lavou os pés deles.

Chapman diz que servir não é ser capacho, é ser servo no sentido bíblico. Porque capacho é um objeto inanimado, você pode chutá-lo, humilhá-lo e fazer qualquer coisa. Manipulação, coação, humilhação não têm nada a ver com essa linguagem de amor. Por isso, devemos imitar Jesus sendo servos das esposas, e as esposas servas dos esposos. Tenho aprendido a desenvolver isso e convidado casais para fazerem o mesmo. Não é algo fácil, porque mexe com o nosso ego, temos dificuldades para nos doar para o outro. Mas precisamos imitar o nosso mestre no ato de servir o nosso cônjuge.

A quinta linguagem é uma forma de comunicar nossas emoções. Uma pesquisa revela que os bebês que foram abraçados, beijados, acariciados pelos pais desenvolvem uma vida emocional mais saudável do que os que são deixados de lado, sem nenhum toque físico. Pais sábios tocam com carinho nos seus filhos. O toque físico é um veículo poderoso para transmitir o amor conjugal. Andar de mãos dadas, beijos, abraços e a relação sexual são formas de demonstrarmos o nosso amor para com o cônjuge.

Olho para minha esposa Erika e os pais dela em contraposição comigo e meu pai. Ela sempre foi abraçada, amada e beijada. O primeiro beijo que recebi de meu pai foi no dia do meu casamento, quando eu tinha 28 anos. Ela tem muito mais facilidade de exercitar essa linguagem, e tenho que aprender com ela a cada dia. Toque físico é uma forma de demonstrarmos o quanto amamos e consideramos nosso cônjuge e filhos. Como maridos e mulheres, namorados e namoradas, precisamos aprender qual é o dialeto do toque de cada um. Chapman diz que toques exigem atenção, afago, ternura, compreensão, sensibilidade e carinho. Quando alguém está com problemas, com crises na vida, precisa ser amado, precisa ser tocado. Para muitos que estão em crise, o toque é um ato de amor, é uma linguagem de amor forte no coração.

No âmago da existência do ser humano se encontra o desejo de intimidade e de ser amado. O casamento foi idealizado para suprir essas necessidades. A necessidade de sermos amados por nosso cônjuge está na essência dos anseios conjugais, os quais podem ser descobertos quando praticamos as linguagens do amor como Chapman propõe.

O ser humano precisa de intimidade e amor. O casamento significa que entraremos na vida um do outro de forma íntima e profunda. Então não nos esqueçamos de que é preciso perceber quando os tanques dos que amamos estão vazios e precisamos enchê-los, comunicando o amor de forma eficaz e dinâmica.

Que o Senhor nos ajude a trabalhar no coração com essas linguagens do amor para que tenhamos relacionamentos mais sadios e abençoados na família!

#Personalidade #Amor #Relacionamento #Comunicação

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now