• Admin

Os opostos se atraem ou se atacam?



“Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, que tanto nos conjuras? O meu amado é branco e rosado; ele é o primeiro entre dez mil” (Cantares de Salomão 5.9-10).

O livro de Cantares é uma extensa expressão de busca pelo amor, encontros e desencontros. É um livro poético e profético. Porém, ele se destaca pela diferença que há entre dois seres: o rei e a sua amada, a Sulamita. É interessante perceber as formas como cada um se relaciona com o outro, suas necessidades físicas e emocionais, suas prioridades e seus desejos. O rei deseja sua amada e a procura por diversas vezes, mas tem suas prioridades com o governo, com as batalhas, com a liderança. Ela, a Sulamita, espera que ele esteja ao seu lado mais tempo, sua necessidade emocional precisa ser abastecida pelo amor do seu amado, sente-se ameaçada por outras mulheres, etc.

De forma bem prática, é possível perceber que existem dois mundos em um mesmo ambiente. Você está se encontrando neste quadro? Pois é, assim também acontece em cada casamento. As diferenças que existem entre o marido e a esposa podem ser gigantescas, desde o que se gosta de comer até a forma como cada um enxerga a vida.

Porém, ao contrário do que se pensa, são as diferenças que fazem o casamento mais divertido e com uma base sólida. Em vez de enxergarmos as diferenças como um “problema”, podemos vê-las como uma “oportunidade”. Sou casada há mais de 20 anos, e uma dica muito útil que lhe dou é que nunca, jamais, tente mudar seu cônjuge. Não vai dar certo! A ação transformadora de um ser humano pertence ao Espírito Santo de Deus e não a nós. Por isso, use a segunda dica que posso compartilhar: veja o que incomoda você e procure transformar-se a si mesmo.

Ao longo de todos esses anos de casamento, tenho aprendido a colocar o fruto do Espírito Santo em ação, para o meu próprio bem e da minha família (eles agradecem!). Vale recordar um pouco cada um deles: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gálatas 5.22-23). Faça um estudo minucioso de cada um. Você vai descobrir que pode contribuir muito para que as diferenças negativas que existem em seu casamento sejam transformadas.

Os opostos se atraem e podem achar um equilíbrio perfeito de convivência, que faz do casamento algo esplêndido, com longos anos de fidelidade, amor, diversão e harmonia. Para isso, é preciso ter um espírito leve, manso, que trata bem o outro, que aprende a falar e a lidar com as diferenças, mesmo que ele coloque o pneu do carro em cima da sua mesa de jantar nova ou guarde ferramenta no gaveteiro da cozinha (meu marido fazia isso!). Em vez de espernear, de gritar e querer se divorciar, acalme-se! ORE! Peça a Deus que lhe dê sabedoria e ao Espírito Santo que guie seus passos. Casamentos têm se desfeito porque os cônjuges não oram, não buscam a Deus, criou-se uma “preguiça espiritual” no meio do povo de Deus. É preciso resgatar a presença de Deus para dentro das famílias!

Outra arma valorosa é o diálogo, que é diferente de discussão, certo? Por isso, CONVERSE com seu cônjuge, em um momento de paz, EXPLIQUE suas necessidades e o que incomoda você. OREM juntos a respeito do assunto. As mulheres, apesar de serem aceleradas para falar, muitas vezes se retraem e não expressam aquilo que sentem. Mulheres, seus maridos não têm bola de cristal, graças a Deus! Conversem com eles! Homens, quando suas mulheres falarem, olhem para elas, desliguem a TV e prestem atenção. A conversa vai levá-los a um caminho no qual as diferenças vão ser divertidas e compensadoras e não um peso.

Que Deus nos ajude em nossa caminhada conjugal e familiar. Que nossos casamentos sejam firmes e nossas diferenças sejam para nos completar e nos fazer mais fortes.

#Personalidade #Relacionamento #Amor #Comunicação

  • Twitter Clean
  • w-facebook