Vale a pena esperar?



“Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula...” Hebreus 13.3 O tema desta edição da revista Lar Cristão é desafiador, atual e extremamente difícil para a vida cristã em nossos dias. Assim, vamos pensar nesse tema a partir de algumas referências nas últimas décadas em nossas igrejas.

No final dos anos 60 e no início dos anos 70, tivemos uma grande pregação da liberdade sexual no mundo com vários movimentos. Na igreja, em especial nos anos 80, uma geração foi influenciada pela leitura de um livro do Pr. Jaime Kemp, Namoro, noivado, casamento e sexo. E era nessa ordem, pelo menos era o esperado. Na década de 90 e no início dos anos 2000, esse tema começou a ser abordado de maneira mais flexível, mas permissiva. Era a busca da liberdade sexual, assim como foi apregoada nos anos 60 e 70.

Em pesquisas recentes, feitas no ambiente evangélico, constatou-se que um grande número de jovens estava tendo relações sexuais pré-matrimoniais, tema que normalmente não tem sido tratado em nossas comunidades. Apenas quando acontece uma gravidez pré-matrimonial, gera-se uma discussão, disciplina, mas não se trata efetivamente do tema para orientação e prevenção. Na década em que estamos vivendo, há um retorno ao “vale a pena esperar” que tem suscitado a importância de se guardar para o casamento, tanto para as meninas como para os meninos. Assim, quais são nossos maiores desafios?

O texto de Hebreus fala sobre a questão do casamento, o leito sem mácula, e outras áreas da moralidade que poderiam ser aprofundadas em várias situações, não só para noivos, mas também para casais. Porém, vamos nos ater à pergunta: mas por que esperar? Lembro ao(à) leitor(a) que na vida fora da presença de Deus vivemos um início das atividades sexuais cada vez mais cedo e uma erotização da sociedade, em especial das crianças. Se você prestar atenção, não existe roupa para meninas, crianças, mas de mulher em número menor, sempre apelando a uma sensualização da criança. Assim, vale a pena esperar?

O primeiro aspecto está no fato de que os jovens, ao iniciar uma vida sexual antes do casamento, podem não estar suficientemente maduros para isso. Uma consequência é o sentimento de pecado, que gera culpa. E não é incomum ouvir no gabinete pastoral sobre o arrependimento de iniciar a vida sexual antes do casamento, e em especial o arrependimento de ter feito com a pessoa errada. O segundo aspecto está na culpa. Sempre tenho ouvido testemunhos do momento do relacionamento sexual vir acompanhado de pensamentos em relação aos pais, à igreja e ao próprio Deus. Ou seja, depois de alguns momentos de prazer vem um profundo arrependimento.

O terceiro aspecto é uma possibilidade de ocorrer uma gravidez pré-matrimonial. Aqui quero chamar atenção ao fato de que a vida é um dom de Deus, e os filhos são herança do Senhor. Ou seja, uma criança nunca será um castigo de Deus. Porém, se iniciar uma vida a dois já é um desafio, a três o desafio é ainda maior, pois o casal perde um tempo precioso de aprofundar o relacionamento no casamento.

Alguns se casam por causa da criança, mas ao longo dos anos isso vira uma cobrança muito grande e uma lembrança sempre surge: casei porque estava grávida. E ainda há jovens que se casam para poder ter uma vida sexual sem o sentimento de pecado! Cuidado, isso pode ser uma ilusão. O sexo é parte abençoadora do relacionamento, mas não o motivo para o casamento.

O quarto aspecto está no fato de abalar a confiança do casal. Alguns casais já tiveram dúvida da fidelidade por ter tido um relacionamento antes e imaginar que o cônjuge não será fiel. Assim, por que vale a pena esperar?

O sexo é, sem dúvida, uma bênção de Deus para um casal, mas não deve ser a razão do casamento. Esperar pode gerar no casal um sentimento de alegria para o momento do ato sexual e também para não viver a tentação de estar sempre fazendo “test drive”. Seu corpo é templo do Espírito Santo. Melhor é reservar esse momento para viver ao lado do outro. Isso não deve ser encarado como um peso, um castigo; ao contrário, é a melhor maneira de se preparar para a vida a dois.

Uma recomendação é que esse tema seja mais bem tratado em nossas comunidades locais, em especial com a nossa juventude, que vive hoje uma grande provocação da sociedade em relação a quando será a primeira vez. A espera pode gerar maturidade no relacionamento do casal, que aprende a conversar, a observar e a se preparar para cada etapa do casamento. Guardar-se também é uma grande oportunidade para entender melhor o propósito do sexo no casamento.

Todas as nossas escolhas terão consequências, e podemos escolher o que é melhor. Invista tempo na sua comunhão com Deus, na leitura da Palavra, pois isso ajudará a entender o que Deus tem de melhor para a sua vida. Aos namorados e noivos que estão lendo este texto eu afirmo: vale a pena esperar. Invistam no diálogo, aprendam a conhecer o caráter do seu(sua) futuro(a) esposo(a) antes do corpo dele(a). Deus sempre tem o melhor para a sua vida! Tudo tem o seu tempo, e ele poderá ser o melhor possível para a sua vida!

#Sexo #Namoro #Noivado #Casamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now