Atividade sexual antes do casamento



Estatísticas mostram que se os jovens começam a praticar sexo por volta dos 16 anos, mais de 44% deles terão tido cinco ou mais parceiros sexuais até chegar aos 20 anos. Vivemos dias muito difíceis no que diz respeito à sexualidade. Os meninos ficam com as meninas e ponto final. Não há mais o conceito familiar de que namoro não é casamento e que a intimidade física é para quando o casal se tornar marido e mulher.

Em alguns lugares no nosso país, as estatísticas apontam situações mais graves porque os jovens começam a praticar sexo no início da adolescência. Muitas meninas ficam grávidas de maneira precoce, com 12 ou 14 anos.

Há alguns anos, a revista Veja publicou uma matéria sobre a preocupação dos pais e o quanto estavam confusos por causa da revolução sexual. Eles estavam pasmos com a precocidade e a liberdade da vida amorosa de seus filhos. Poucos sabiam como lidar com a primeira vez dos adolescentes. Desde que o mundo é mundo, pais e mães têm sempre um palpite a dar em cada etapa da vida dos filhos. Hoje, talvez pela primeira vez na história, eles estão atônitos e sem palavras diante de um momento crucial: a iniciação sexual dos adolescentes. A precocidade e a liberalidade com que a garotada está se iniciando na vida amorosa são mesmo de tirar o fôlego de qualquer adulto.

Do ponto de vista cultural, a mudança é profunda, quase revolucionária. Até bem pouco tempo atrás, a iniciação do garoto se dava com prostitutas e a da garota com o marido na noite de núpcias. Hoje, como regra geral, a primeira relação sexual ocorre entre namorados que mantêm um relacionamento estável, e o local predileto é o quarto do garoto, quando os pais estão ausentes.

O garoto dorme com a namorada e tem o apoio explícito dos pais e amigos. A menina, embora não receba tanta aprovação da família, já não corre o risco de ser espancada porque fez sexo fora do casamento. Ao contrário, para muitos pais é motivo de alívio saber que se trata de um namoradinho conhecido e sadio. Quando olhamos para a televisão, o cinema, a imprensa e a internet, percebemos que esses meios de comunicação inundam o cotidiano dos jovens com apelos sexuais jamais vistos por outra geração.

Certo dia eu estava em uma universidade e vi uma moça nova perguntar para um rapaz se ele queria sair com ela, dizendo que tinha camisinha. Ele respondeu: “Mas nem a conheço!”. Ela retrucou: “Não tem problema!”.

O que fazer diante de tanta “liberdade” e dessa falta de senso em relação à sexualidade correta e que preserva os princípios da Palavra de Deus?

Entender o plano de Deus para o homem e a mulher Deus tem uma aliança com o homem e a mulher. Eles devem desfrutar de relações conjugais como uma só carne. Em Gênesis 2, a Bíblia diz que eles andavam nus e sem vergonha. Não havia impureza no Paraíso até que nossos primeiros pais pecaram. Então, o pecado sexual começa a surgir. Há incesto, homossexualismo, adultério, prostituição, poligamia e todo tipo de pecado na área da sexualidade.

O sexo em si, como foi projetado por Deus, não é pecado. É para os nossos corpos desfrutarem do prazer sexual. E a intenção de Deus é unir o homem com a mulher por meio do casamento. Mas, infelizmente, o sexo tem sido utilizado para fins pecaminosos.

Steve Arterburn, um conselheiro cristão que escreve extensivamente sobre a questão do pecado sexual e a dependência sexual, diz: “O prazer sexual é uma das experiências humanas mais intensas. É uma coisa maravilhosa em um relacionamento conjugal comprometido, porque ajuda a ligação de duas pessoas e trazer a alegria de viver juntos e construir um relacionamento. Pode haver um lado negativo no prazer do sexo, no entanto. Se acontecer experiências sexuais fora do casamento e experiências que são constantemente repetidas, um ato sexual pode deixar de ser um prazer simples e passar a ser um vício. Em vez de ser ligado com uma pessoa, você se torna ligado ao ato em si”. Qual é o plano divino para o homem e a mulher? Que eles se casem e desfrutem da harmonia sexual no relacionamento. O homem foi projetado para a mulher e a mulher para o homem.

Entender o plano de Deus para ser puro(a) até o casamento Deus tem um plano de santidade na vida de um rapaz e de uma moça. A Palavra de Deus fala de princípios para a pureza sexual, de como deve ser a forma de um jovem se comportar na vida sexual. Isso não tem a ver com ser quadrado, antiquado e tapado, como muitos afirmam em nossa sociedade. O que a Bíblia nos ensina sobre essa pureza?

Em 1 Coríntios 6, Paulo fala da liberdade cristã que temos na vida diária. Podemos fazer qualquer coisa, andar em qualquer lugar. Podemos ter o comportamento desejado. Só que ele mostra que uma pessoa que anda com Deus tem um impacto profundo. A pessoa que anda com Deus tem liberdade, mas é para o Senhor. Paulo afirma que todas as coisas são lícitas. Ele poderia fazer tudo, mas diz que nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas não se deixará dominar por nenhuma delas.

Ele diz que todas as questões da vida estão à nossa disposição, mas quem tem um impacto de Cristo na sua vida sabe discernir o que é lícito e o que não é. Por isso, ele adverte que não podemos ser dominados pelas influências do mundo, que nos fazem perder a santidade e a pureza diante do Pai. Paulo nos ensina que a vida cristã é para ser um impacto de santidade e pureza. Então, diz que o nosso corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Cristo fez uma obra na cruz do Calvário para termos um padrão de vida em que não somos dominados pelas ações da carne. A prostituição, a impureza, a falta de reverência para com o Senhor, que morreu por nós, não são lícitas.

Paulo diz: “Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomareis, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? (…) Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito” (1 Coríntios 6.15-17). E em seguida Paulo dá uma exortação profunda para aqueles que devem impactar de maneira santa: “Fugi da prostituição”. Vale lembrar o significado dessa palavra, porneia, no original grego: relação sexual entre pessoas solteiras, falsa união sexual. Ela deu origem às palavras pornografia e pornô em português. Ela indica qualquer contato sexual ilícito, qualquer forma de imoralidade, qualquer forma de desvio moral que se afaste dos elevados padrões do cristianismo.

Partindo dessa visão bíblica, Jesus morreu para nos comprar, para perdoar o nosso pecado e nos tornar filhos de Deus. Então, o nosso corpo não é mais nosso. Ele pertence a Jesus. Paulo diz que o Espírito Santo habita em nós, que o nosso corpo é santuário do Espírito Santo. Exatamente por isso, todas as coisas são lícitas para nós, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas são lícitas, mas não devemos nos deixar dominar por nenhuma delas. Porque agora somos santuário de Deus, somos habitação de Deus. Ele mora em nosso coração com o propósito de modificar e modelar o nosso caráter para nos parecer mais e mais com o Senhor Jesus Cristo.

Quando um rapaz não fica com uma moça, glorifica o Senhor com a santidade na sua vida. Quando uma moça se guarda em santidade, ela glorifica o Senhor sabendo que o seu corpo é templo de Deus e que ela o honrará no casamento. E até lá se preparará reconhecendo que no casamento desfrutará da sexualidade com prazer e liberdade no tempo de Deus. Paulo diz em 1 Tessalonicenses 4.3-7: “Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o seu vaso [o corpo] em santificação e honra; não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos. Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação”. Logo, concluímos que a pureza não depende da saúde ou do desejo do nosso parceiro. Deus nos considera responsáveis nessa área e espera que tenhamos santidade, pureza e honestidade.

Por que consideramos que o sexo antes do casamento é pecado? Porque honramos a Deus com o nosso corpo e esperamos o dia para desfrutar de maneira sadia, espiritual e correta na união que é ensinada em Gênesis 2.24: “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”.

Que o Eterno Deus nos dê sabedoria para ensinar nossos filhos, netos e amigos a realidade das Escrituras para que tenham um relacionamento sadio, puro e que exalte o Criador sempre!

#Sexo #Relacionamento #Noivado #Casamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now