Perdão – sentimento em extinção



Estamos diante de uma palavra ‘em extinção’ dentro da geração em que vivemos! Amizades, casamentos e famílias se desfazendo, cada vez mais, por palavras, atitudes e decepções decorrentes de relacionamentos pautados no EGOLIAS, isto é, as pessoas estão cada vez mais isoladas umas das outras, mesmo vivendo entre muitos, pois o centro de suas vidas é o ‘seu eu’, cada vez mais ferido, sempre armado para defesa e para ataque, e um EU gigante (por isso ‘egolias’: o egocentrismo está se agigantando dentro de cada um). Estamos tentando construir famílias e uma sociedade SEM PERDÃO E SEM DEUS, pois quem conhece a Deus ama, e quem ama perdoa, como Deus nos tem perdoado em Cristo Jesus! Leia 1 João 4.7-12.

Somos feridos por decepções com nós mesmos e com outros que dizemos que amamos. Também repetimos: “Não consigo me perdoar” e “não consigo perdoar esta e outras pessoas, pois fui e tenho sido muito humilhado e machucado”!

Se pararmos para rever nossa vida, começamos a ter esses sentimentos, provavelmente por causa dos nossos relacionamentos familiares, isto é, nossas lembranças negativas de decepções com os pais, avós, irmãos, cônjuge, filhos, etc. Hoje não conseguimos perdoar e nos libertar deste passado, e nosso egolias se levanta para nos defender e para atacar quando nos sentimos ameaçados ou confrontados com estas experiências e lembranças negativas.

Beth e eu, ainda muito jovens, antes de casarmos, aprendemos alguns princípios da Bíblia que nos ajudaram a nos livrar do nosso passado negativo e a construir um novo relacionamento de casal e de família que nos assegurou formarmos um matrimônio e uma família felizes, com quatro filhos amados e servos de Deus, hoje todos casados e dando continuidade a viver esses princípios.

Desde o namoro, noivado e casamento nós nunca dormimos ‘de mal’ ou com o coração ferido, sem primeiro nos acertarmos e perdoarmos um ao outro, orando juntos, todos os dias, diante de Deus, por mais de 32 anos. Veja o que nos diz Efésios 4.25-27: “Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo. ‘Quando vocês ficarem irados, não pequem’. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha, e não deem lugar ao Diabo”.

Perguntamos: não lhe parece que quando nos ferimos não é melhor falar a verdade sobre o nosso erro e pecado e se a nossa ira feriu o outro buscar a paz antes de dormir para não dar lugar ao diabo em nosso relacionamento? Não se esqueça de que ele é ladrão e veio para roubar, matar e destruir e Jesus veio para que tenhamos vida e vida em abundância! Qual você prefere na sua família? Qual é a sua parte nisto? Alimentar o seu egolias ou derrubá-lo confessando seu pecado e perdoando, para não dar lugar ao diabo e sim para Jesus, que o tem perdoado?

Além de nos acertarmos todas as noites, quando não antes, mesmo quando não nos entendíamos, todos os dias oramos juntos, é claro, depois de nos perdoarmos e de nos reconciliarmos, como Jesus ensinou em Mateus 5.23-24: “Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta”.

Não foram poucas as vezes que não chegávamos a um mesmo denominador sobre algum assunto, mas, mesmo assim, decidíamos orar concordando que Deus aclarasse esta diferença, e Deus foi sempre estabelecendo a sua verdade sobre cada assunto e sobre a posição de cada um, como Jesus garantiu em Mateus 18.18-22: “‘Digo a verdade: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra terá sido desligado no céu. Também lhes digo que se dois de vocês concordarem na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus. Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles’. Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: ‘Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?’ Jesus respondeu: ‘Eu lhe digo: Não até sete, mas até setenta vezes sete’”.

Amado! Veja como o orar a Deus, o apresentar a sua oferta, o poder ligar e desligar aqui na terra (autoridade), o concordar para mudar situações e pessoas (começando por nós mesmos) estão ligados diretamente a reconciliar-se e a perdoar e o quanto é garantida a presença de Jesus, em vez do diabo, quando não oramos sozinhos, mas oramos juntos como casal (2) e como família (3 ou mais), em nome de Jesus. Você ora junto com seu cônjuge e família, todos os dias, em paz e perdão?

O que está faltando então? Não é amarmos como Deus nos tem amado? E como sabemos que Deus nos tem amado? Veja o que aprendemos em Romanos 8.8: “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores”. Não lhe parece que para perdoar é preciso amar, e se não perdoamos é porque não amamos? Não lhe parece também que não adianta frequentarmos uma igreja e querermos ouvir da Bíblia se esta se resume em AMAR? Veja o que Jesus disse em Mateus 22.36-40: “‘Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’ Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas”.

Você ama a Deus assim? Se você diz que sim, e o segundo é semelhante ao primeiro mandamento, então você deve amar o seu próximo como a você mesmo, não é? Mas quem é o seu ‘próximo mais próximo’? A quem você deve amar, perdoar e cuidar primeiro? Veja o que temos em 1 Timóteo 5.4 e 8: “Mas se uma viúva tem filhos ou netos, que estes aprendam primeiramente a colocar a sua religião em prática, cuidando de sua própria família e retribuindo o bem recebido de seus pais e avós, pois isso agrada a Deus... Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente”.

Você, eu e a nossa família somos a única esperança para que este mundo em crise de tudo o que é justo e verdadeiro possa conhecer a Deus, pois o que o mundo precisa é ‘ver Deus’, e ver Deus é ver amor, e ver amor é ver PERDÃO, que começa no casamento e na família que conhece a Deus:“Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós” (1 João 4.12).

Ame e perdoe como Deus o tem amado e perdoado e a sua família conhecerá e mostrará o amor de Deus a outros, nesta geração do fim, cuja maldade e falta de perdão estão fazendo com que o amor se esfrie, e a falta de perdão cresça, destruindo, cada vez mais, amizades, famílias e igrejas, como predito por Jesus em Mateus 24.10-13: “Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará, mas aquele que perseverar até o fim será salvo”. Fique firme, persevere, ame e perdoe até o fim, que está próximo! Maranata, vem Jesus!

#Perdão

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now