• Admin

Pés no chão



Concordo com o apóstolo Paulo quando, em 1 Coríntios 13.13, ele define a tríade que resulta em um relacionamento eficaz: “a fé, a esperança e o amor”. Muitas pessoas confundem o “andar por fé” com desenvolver uma “fé mágica” e até utópica, esquecendo-se da definição que o escritor de Hebreus faz: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se veem” (Hebreus 11.1). Embora seja abstrata, a fé tem substância, tem conteúdo. Ela vem “do ouvir a Palavra de Deus”. Ou seja, ela se estrutura sobre uma palavra revelada de Deus a nós.

Muitos cônjuges estão agindo num impulso da alma, por isso fazem loucuras em nome da “fé”. Os nossos objetivos, porém, devem ser dirigidos pelo Senhor, pois algumas vezes nossos desejos são contrários aos planos d’Ele. Não é errado definir metas e estabelecer objetivos. Quando Jesus advertiu que não devemos andar ansiosos (Mateus 6.25), o sentido é de não nos preocuparmos excessivamente com algo. Tiago advertiu que não devemos excluir Deus das nossas metas (Tiago 4.15). Definir objetivos requer tempo, disciplina, coragem e paciência para alcançá-los. Temos, portanto, que discernir o “andar por fé”, “agir por fé” e a mentira ou desonestidade.

As expectativas do marido e da mulher a respeito um do outro são, por vezes, muito elevadas, deixando margem para frustrações que podem se tornar em descontentamento contínuo e distanciar o casal, comprometendo sua confiança. É preciso exercer sabedoria: ambos devem tomar todo cuidado para não trair a confiança mútua, pois ela é um dos mais preciosos presentes que um cônjuge pode oferecer ao outro. Mais que uma prova de sabedoria, isso é uma prova de amor.

Há muitos cônjuges dando à preguiça o nome de “atitude de fé”: “Deus vai suprir, Deus vai fazer, vai acontecer, a conta vai ser paga!”. É hora de colocar os pés no chão e encarar a realidade. Pare de esperar a chegada das flores se você não lançou as sementes. Tal atitude tem desgastado relacionamentos, gerando desrespeito, desconfiança e cicatrizes emocionais – e elas podem ficar gravadas na alma para sempre, ocasionando terríveis estragos. Tudo em questão de minutos, porque alguém mentiu sobre sua expectativa e sua postura conjugal.

O casamento é antagônico, pois nada faz tão bem quanto um bom casamento, mas também nada machuca mais do que um relacionamento infeliz. Há maridos que agem como se o remédio para todos os problemas no casamento fosse levar uma rosa para a esposa toda semana ou lavar a louça para ela. Às vezes eles se concentram mais nos problemas do que nas possibilidades que a solução deles trará: aprendizado, crescimento mútuo, aprimoramento, avanço.

Busque a sabedoria de Deus para a sua vida a dois. Recuse-se a liberar palavras de derrota, depressão e desânimo, pois suas palavras são vida! Tenha sensibilidade, procurando resolver os conflitos sem ferir ao outro. Com criatividade, dedicação e atenção, a vida conjugal se torna algo inesquecível e proveitoso!

Nunca despreze “a fé, a esperança e o amor”, e então tenha certeza: com os pés no chão, e firmado na Palavra, você terá uma vida a dois que reflete a glória de Deus.

#Esperança #Amor

  • Twitter Clean
  • w-facebook