A escolha da pessoa certa



Sem os princípios de Deus definidos e adotados, é impossível tomar decisões corretas no namoro, no noivado ou casamento. E quer saber mais? Deus sempre quer participar de todas as nossas atividades nessa área. Nossa tendência é separar o que julgamos espiritual daquilo que consideramos trivial. Por exemplo: muitos acham que participar de um estudo bíblico é uma atividade totalmente espiritual, mas não acreditam que conversar com o namorado também é. Paulo derruba essa ideia em 1 Coríntios 10.31: “ ... quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (NTLH).

Quando era jovem, eu também fui tentado a não me preocupar com o desenvolvimento de uma base espiritual firme no namoro. Lembro-me até hoje quando eu e minha esposa saímos pela primeira vez. Eu estava apaixonado por ela e tinha resolvido no meu coração ter um namoro dentro dos padrões de Deus. Quando entramos no meu carro, eu queria orar antes de dar a partida, mas tive medo que ela pensasse que eu era um fanático religioso. Travei uma luta interior durante vários segundos, mas criei coragem e disse: “Você gostaria de orar comigo antes de sairmos?”. Ela olhou para mim e respondeu: “Sim, quero”. Apesar da dificuldade emocional que enfrentei para fazer aquela pergunta, desse dia em diante tornou-se muito fácil, agradável e edificante orar com minha esposa.

Namoro a três Os momentos de oração, o compartilhamento da ação de Deus em nossa vida e a leitura da Bíblia juntos foram usados naquela época para nos dar forças nas horas de tentações que dois jovens têm, especialmente no controle dos impulsos sexuais e no relacionamento físico no namoro. Não estou dizendo que tudo foi perfeito. Houve dificuldades, tentações e, às vezes, desentendimentos, mas sempre consideramos Jesus como a pessoa mais importante no nosso relacionamento e a Palavra de Deus como guia de nossas decisões e atitudes.

Se o casal não ora junto no período de namoro e noivado, se não procura ler e obedecer à Palavra, se não mantém conversas francas e abertas sobre dificuldades, é um erro pensar que, de repente, a partir do primeiro dia do casamento, começará automaticamente a orar, colocar a Bíblia como prioridade e organizar a vida de acordo com os princípios de Deus. Provavelmente, isso não acontecerá. O período de namoro e noivado é importante para estabelecer o alicerce para um casamento bem-sucedido.

Quero dar algumas sugestões aos namorados e noivos que podem ajudá-los nesse sentido:

  1. Desde o início do relacionamento, planejem atividades em grupo. Longos períodos a sós pode colocá-los em situações em que os impulsos sexuais possam ser estimulados demais.

  2. Coloquem a Bíblia como regra de fé e prática. Isso quer dizer que vocês vão estudá-la juntos e procurar descobrir aplicações práticas para a vida de ambos, individualmente e em comum.

  3. Desenvolvam um espírito de louvor e oração. Criem o hábito de sempre levar os problemas a Deus em oração e também dedicar momentos de louvor a Ele após uma vitória.

  4. Procurem manter uma comunicação aberta. Um dos maiores problemas no casamento é a falta de comunicação ou a comunicação inaceitável, isto é, gritarias, brigas, ofensas recíprocas etc.

  5. Aprendam logo no início do relacionamento a preservar uma linha de comunicação aberta entre vocês e o Senhor.

  6. Desenvolvam um espírito de perdão. Todo relacionamento enfrenta provações. Mas o amor verdadeiro usará o sofrimento para que o relacionamento se torne mais profundo e comunicativo.

Todas as pessoas desejam ter um casamento feliz. Para que isso aconteça, é necessário construir a casa na Rocha, que é Cristo, e caminhar sob a orientação da Palavra de Deus.

Namoro e sexo Como controlar as carícias? Quem deve controlar o relacionamento físico? É possível ter contato físico e ainda permanecer na vontade de Deus? Quais são os limites que Deus impõe? Será que a Bíblia tem respostas para perguntas como essas? Deus está interessado nesse assunto? Afirmo, com toda a convicção, que há respostas bíblicas para essas perguntas e, repito, Deus está interessado no relacionamento dos jovens cristãos.

Em 1 Tessalonicenses 4, Paulo trata exatamente desse assunto. De que forma devemos viver para agradar a Deus? Conforme o versículo 3, a vontade de Deus é a nossa santificação. Isso quer dizer pureza moral. É a negação dos padrões imorais da sociedade e a aceitação do padrão de Deus. Paulo está dizendo que Deus quer que dediquemos nossa vida a Ele e que nos abstenhamos da prostituição. Paulo não está desaprovando somente a comercialização do sexo, mas a imoralidade sexual, quer seja em palavra ou ação.

No versículo 4, o apóstolo nos encoraja: “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso [corpo] em santificação e honra…”. Na sociedade contemporânea, em geral não é apenas aceitável, mas faz parte do padrão da época, o jovem acumular uma série de experiências sexuais antes do casamento. Entretanto, quando há intimidade sexual no período de namoro e noivado, o sentimento de culpa pode provocar efeitos negativos no casamento e ser fonte de problemas, irritações e brigas.

No versículo 5, Paulo exorta que tomemos cuidado para não ofender ou defraudar nossa(o) irmã(o). Há várias maneiras de defraudar alguém, mas o apóstolo está se referindo a uma defraudação sexual. A palavra defraudar pode significar despertar desejos sexuais em alguém que não podem ser satisfeitos dentro da vontade de Deus ou então utilizar como se fosse seu o que pertence a outra pessoa.

O que acabo de expor pode motivar alguns questionamentos:

Jaime, então qual é o limite que devo obedecer no meu namoro? Qual deve ser a minha resposta? “Olhe, você deve beijá-la três vezes no sábado, mas no domingo, que é dia do Senhor, uma vez só”. Ou: “Você pode se despedir dele com um abraço de onze segundos e um beijinho no rosto”. Ora, tudo isso é bobagem, pois cada jovem reage de forma diferente às carícias de um homem ou de uma mulher, respectivamente. Não podemos estabelecer uma série de regras. Deus nos dá claramente o princípio que indica o limite no nosso relacionamento físico: não defraude.

Mas como vou saber se estou defraudando ou não? A resposta é comunicação! É preciso que ambos conversem sobre o assunto. Feliz a garota ou o rapaz que sabem dizer não!

Algumas garotas dizem que precisam se entregar um pouco para que o rapaz não pense que são frígidas. Isso não é verdade. Lembro-me de uma namorada que tive. Uma noite, depois de sairmos juntos, levei-a para casa. Seus pais ainda não tinham chegado, estava meio escuro na porta da casa, e eu, aproveitando a oportunidade, tentei ser mais ousado. Imediatamente, ela me empurrou e disse: “Jaime, 2 Timóteo 2.22!”. Eu não tinha a menor ideia do que estava escrito em 2 Timóteo 2.22, mas meu orgulho ficou ferido. Tratei de sair rapidamente dali e fui para casa,

chateado. Assim que cheguei, peguei minha Bíblia e li qual era o recado que aquela garota “tão espiritual” quis me passar: “Foge também das paixões da mocidade...”. Fiquei mais irritado ainda e não telefonei para ela durante duas semanas. Estava com raiva! Mas confesso que bem lá no fundo do meu coração eu sentia respeito por ela porque compreendi que era uma menina de caráter e convicções firmes.

É preciso ter coragem e determinação por parte dos dois para dizer: “Vamos parar por aqui”. Sempre devemos ter em mente que o mais importante não são os costumes que a sociedade adota, mas o que Deus pensa. E Ele já nos revelou isso em sua Palavra.

Namoro e família Acreditem ou não, a harmonia e a felicidade de um casamento também dependem muito da capacidade do rapaz ou da garota de tratar os pais e irmãos em casa e de sua disposição de submeter-se à liderança que Deus instituiu em suas vidas. Deus usa a família e suas situações cotidianas para moldar e desenvolver qualidades espirituais nos jovens, preparando-os para seus futuros lares. Em Efésios 6.1 e Colossenses 3.20, Paulo fala sobre obediência aos pais. O Senhor espera que todo jovem aprenda a viver sob autoridade (Romanos 13.1).

Às vezes, aprender a viver em harmonia e paz com nossos pais ou irmãos não é nada fácil e, em muitos casos, exige sofrimento. Porém, isso também faz parte do plano de Deus para moldar-nos à imagem do seu Filho (Romanos 8.29). No casamento, a entrega dos nossos direitos aos nossos cônjuges nos ajudará diversas vezes. E temos esse exemplo personificado no próprio Senhor Jesus (1 Pedro 2.22-23).

É muito comum, em meio ao sofrimento, exigirmos nossos direitos, enquanto Deus quer desenvolver mansidão e humildade em nosso coração. Porém, inegavelmente, é mais fácil aprender em nossa casa do que mais tarde, no relacionamento conjugal.

Observe seu namorado, sua namorada, como ele(a) reage e responde aos pais. Ele(a) os respeita, considera e ajuda? Se ele(a) demonstra atitudes negativas, provavelmente um dia agirá da mesma maneira com você.

Se vocês percebem a revolta de um espírito rebelde em vocês mesmos ou em seus parceiros, esperem no Senhor, conversem e orem sobre isso. Esforcem-se, com determinação e fé, para submeter-se à vontade de Deus em seus lares, sob a autoridade de seus pais e convivência com seus irmãos. Aprender a obedecer a autoridades e viver em harmonia é um dos maiores e mais importantes desafios para um casamento feliz.

Outra verdade é que casamos com muitas expectativas em relação ao outro. Pensamos que será fácil mudar nosso cônjuge (afinal, ele[a] me ama demais!). Mas ficamos surpresos quando, de repente, nos vemos diante de problemas emocionais e outros de difícil solução.

O amor é uma emoção que pode crescer, tornar-se madura e durar a vida inteira. O amor vê a pessoa como um todo e cresce através do conhecimento mútuo, da autenticidade, da lealdade, da fidelidade, do companheirismo e do passar do tempo. Um dos grandes segredos de um relacionamento não é simplesmente encontrar a pessoa certa, mas ser a pessoa certa. O amor existe quando a satisfação, a segurança e o crescimento individual da outra pessoa são tão significativos para você quanto a sua própria satisfação, segurança e crescimento.

Oro para que todo casal de namorados, noivos ou mesmo aqueles que já são casados, ao lerem este artigo, lembrem-se de que Deus está atento e trabalhando para sua realização nessa área que Ele mesmo criou e quer que desfrutemos. Entretanto, sua participação interessada e amorosa só poderá ser completa se você aplicar aquilo que Ele ensina em sua Palavra, que nos foi revelada para, além de nos instruir, proporcionar-nos paz, realização e felicidade.

#Namoro

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now