Resolvendo conflitos



Para abordar este tema, vou fazê-lo por meio de perguntas.

É possível um lar isento de conflitos? “Como o ferro com ferro se aguça, assim o homem afia o rosto do seu amigo” (Provérbios 27.17). Esse texto está falando sobre relacionamentos e demonstra que os conflitos contribuem para que eles se tornem melhores e mais maduros. Qual é o grau de profundidade desses conflitos? Muitos não só se prolongam além do dia, mas duram semanas, e nesse caso o relacionamento não é saudável. Existem casais que não conversam, só brigam, não constroem nada, só destroem. Como crescer? Como amadurecer? Mesmo entre casais maduros existem conflitos, mas estes convergem para a solução do problema. E nos casais cristãos? Cristo não é o Senhor de ambos? Não são conduzidos pelo Espírito Santo? Como podem ter diferenças e discórdias?

Devemos entender que a Palavra de Deus é o nosso guia, mas ela não elimina a nossa personalidade ou nossa maneira de ser. Mesmo que tivéssemos uma vida de submissão a Cristo o nosso eu sempre iria aparecer.

Vamos começar com o início do relacionamento: o que buscamos no outro? E o que oferecemos a ele? Quando não há equilíbrio, geralmente as coisas darão erradas. Quando o outro se torna o nosso maior desejo de realização e as expectativas são depositadas nele, se no futuro ele não conseguir corresponder, o fracasso e a decepção serão a consequência. O equilíbrio é salutar, positivo, e a própria Palavra de Deus diz que o jugo desigual gerará problemas.

Um relacionamento não se inicia olhando somente o exterior, porque o interior é a parte principal dele. O exterior se corrompe rapidamente, e todos os milagres da cirurgia moderna não impedirão o nosso corpo de envelhecer, mas o nosso interior trabalhado por Deus é como o lapidar de um diamante, cada corte preciso aumentará seu valor. Hoje, na maioria dos namoros, o ciúme é uma demonstração de amor, mas isso é uma mentira satânica. O amor vem de Deus, e o ciúme, do diabo; quem mantiver esse fruto da carne na sua vida não entrará no reino de Deus (Gálatas 5.20).

O amor é um plano de Deus maravilhoso e nos ensina a nos doar em favor do outro, por isso é muito importante conversar e se entender. Gaste mais tempo conhecendo a pessoa escolhida, afinando seu relacionamento, pois assim as discórdias e os conflitos serão menores.

No matrimônio, o casal tem de entender o princípio que está em Eclesiastes 4.9-12: “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa”.

Você reparou que nesse texto não existe conflito? Só existem questões positivas: os dois terão melhor paga do seu trabalho; se um cair, o outro o levanta; no frio, um aquentará o outro; se alguém quiser prevalecer contra os dois, eles irão resistir. E Deus será o terceiro elo que os une.

Isso é tudo de bom! Mas existe outra realidade: a cama fica apertada, as roupas ficam jogadas, os interesses pessoais são manifestados em detrimento do outro, a carga começa a ficar para um só e as exigências começam a aumentar. Logo surgem pensamentos e falas: “Este não é o casamento que eu esperava ter”.

Por que então você se casou? Essa pergunta revela tudo que você espera do outro. Se você se casou para ser feliz, descobrirá que essa não será a sua realidade. Porque a resposta correta deveria ser esta: “Eu me casei para fazer do outro uma pessoa muito feliz”. É se doando que você irá realizar os sonhos daquela pessoa que você ama; isso significa uma via de duas mãos.

Leia este texto se colocando nele: “Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos” (Provérbios 14.1). Isso significa homem e mulher construindo seu lar, mas para isso Josué dá a receita: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (24.15b).

Como solucionar os conflitos naturais que virão? O primeiro ponto é o equilíbrio. Eu sou sacerdote do meu lar, provedor, alicerce, mas me uni a uma pessoa que é minha companheira, inteligente, amável e que ajuda a construir o lar. Por que vou desprezar sua opinião e seus conselhos? Por que não terei um orçamento elaborado evitando gastos que gerarão ruptura no nosso relacionamento? É necessário discutir e conversar até chegar a um consenso. E se ele não vier?

Certa vez, deparei-me com a seguinte situação: durante um período de carnaval, nos intervalos dos programas infantis, os comerciais apresentavam mulheres quase nuas, e senti que deveríamos comprar um videocassete, porque assim teríamos condição de tirar os filhos da programação da televisão e montar uma videoteca, controlando o que eles iriam assistir. O videocassete custava o meu salário inteiro e metade do salário de minha esposa. Conversamos a respeito, e ela me respondeu: “Tenho outras prioridades”. Isso para mim foi um choque, mas em vez de iniciar um conflito, disse para ela: “Ore a Deus e veja o que Ele vai responder”. Sete dias depois, ela disse que a prioridade era o videocassete e que nossos filhos estavam acima de qualquer outra prioridade material.

Deus nos abençoou como família, pois pudemos colocar diante de nossos filhos muitos filmes e desenhos bíblicos que ajudaram a formar a sua vida com Deus. Muitos outros episódios aconteceram, mas temos praticado uma coisa: colocar as situações diante de Deus. Precisamos entender o que está escrito em Provérbios 15.1: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Seguir esse versículo não é uma coisa fácil, porque toda discussão está mais parecida com o refrão de uma música antiga: “pode vir quente que eu estou fervendo”. Outros conflitos ocorrem sem palavras, sem agressões, mas com desprezo e com o gelo, o silêncio. Isso também é uma agressão. É como se a pessoa, de repente, não tivesse mais nenhum valor. Como é que chegamos a essa situação em nossos conflitos?

A pessoa que escolhemos para amar, para construir nossa vida deve ser muito importante para nós. Somos inteligentes, temos a sabedoria, temos a bênção de Deus, temos pessoas que nos orientam, mas nada disso tem ajudado alguns casais a equacionarem seus conflitos. Alguma coisa ficou do lado de fora e alguma brecha foi dada. Eu digo que Deus ficou do lado de fora e a brecha que foi dada Satanás tem aproveitado, e quando ele entra, faz isso com esta expressão: “Você tem direito e não deve ser tratado(a) dessa forma”. A solução está em Deus, e a forma de resolver o conflito é dizer: “Senhor, a minha vida pertence a ti, em que estou errando? Fiz uma promessa diante do altar, ajuda-me a honrar esse voto, dá-me sabedoria, revela o teu querer, ajuda-me a ser submisso à tua vontade, quebranta meu coração, molda-me e me concede a vitória”.

A reconciliação e a solução dos conflitos são mais difíceis, por isso, antes de buscarmos saídas, suportemos, peçamos ajuda a Deus. Nós suportamos tantas coisas. Você já parou para pensar nisso? Acordamos cedo, pegamos um ônibus ou metrô lotado, desconfortável ou vamos de carro e enfrentamos um engarrafamento monstruoso, tudo isso para, no final do mês, receber um salário que não satisfaz, mas fazemos isso por 30, 40 anos ou mais. E conseguimos levar essa situação adiante, mas o matrimônio, o relacionamento, jogamos fora por muito menos. Os filhos ficam sem o aconchego do lar, deixamos de ensiná-los como um só corpo; tentamos dar um jeitinho.

Isso não vale a pena. Então, antes de destruir seu relacionamento, faça de tudo para alcançar a bênção de Deus. O matrimônio é um plano d’Ele, é um presente de Deus para você; seus filhos são herança do Senhor, fruto do ventre, seu galardão (Salmos 127.3) e isso significa a recompensa.

Não ter conflitos é melhor, mas quando eles vierem, busque de Deus a sabedoria e a direção. Peça para Ele entrar na solução do problema, ore antes e se coloque diante d’Ele. Deus dará a vitória!

Não tenho um lar perfeito, mas acabei de passar para você a receita que me tem levado a viver um lar abençoado por Deus, um lar onde os conflitos têm sido solucionados, onde há espaço para todo tipo de conversa.

Não há nada impossível para o nosso Deus. Viva dessa maneira e usufrua da bênção do matrimônio e abençoe as pessoas que estão próximas a você vivendo bem.

#Relacionamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now