Espelho, espelho meu!



A criação do homem revela um desejo “narcisista” de Deus: Ele acha feio o que não é espelho. Quando tomou o material para construir o homem, Deus determinou que sua criatura refletisse a imagem do criador na forma de sua semelhança. Assim, o espelho foi criado.

Parece bem curioso o fato de Deus ter feito “homem e mulher” num mesmo ser: um homem plural, não singular. Não havia possibilidade de um homem singular refletir a Deus, posto que o Deus da criação é um Deus plural em si mesmo. O grande mistério da “imago dei” (Imagem de Deus) estava justamente nesta expressão plural do homem. Assim, o espelho que reflete Deus somente o é no casal.

Deus se vê quando “dois se tornam um”. Deus se vê quando um homem se apaixona, ama e casa com uma mulher. Deus se vê na relação íntima do casal. Deus se vê na família. O espelho de Deus mantém vívida a imagem de Deus na terra. Por isso Deus ama tanto esta ideia de casamento – de Gênesis a Apocalipse o conceito de casamento transita na Bíblia. É simbólico, em seu sentido mais pleno: símbolo é o que une.

A ação diabólica se opõe à simbólica. Ou seja, enquanto Deus une, o diabo separa. Dá para imaginar as razões por que o casamento é tão atacado pelas forças das trevas. Se o casamento é o espelho da luz de Deus, as trevas se incomodam. Lembro-me de que, quando eu era criança, gostava de brincar com pedaços de espelhos: do lado de fora da casa, eu refletia a imagem do sol nos olhos de meus irmãos, causando muito incômodo a eles. Meus irmãos reagiam imediatamente: às vezes me tomavam o espelho, às vezes me batiam. Hoje fico imaginando o diabo olhando para os casais da mesma forma que os meus irmãos viam a luz do sol no meu espelho. Satanás reage ferozmente contra os casais porque em cada casamento, independentemente do credo que o uniu, a luz de Deus brilha: o casal é o espelho de Deus.

Tudo o que separa é diabólico. Tudo o que une é simbólico e divino. O trabalho de Deus com respeito às famílias é o de manter limpo o espelho. Deus orienta seus filhos para que não permitam que a poeira nem o vapor das chamas do inferno “embacem” o seu espelho. Deus oferece ao homem e à mulher as ferramentas necessárias para combater o inferno e afastar o diabo de seus relacionamentos. Tudo está ali, na Palavra de Deus, passo a passo. Começa pela limpeza do coração até chegar às mãos.

O coração impuro compromete o reflexo de Deus. O coração impuro afasta Deus da relação. O coração impuro é imoral, corrupto, invejoso, leviano, prepotente, altivo. Do coração impuro emergem os abrolhos que alfinetam e ferem o relacionamento. Foi uma “poeira” de impureza que levou o casal do Éden ao pecado: o desejo de ser quem não era, a busca de autonomia e independência. Com o casal do Éden aprendemos a limpar nosso coração: basta recorrermos a Deus em total dependência d’Ele.

As mãos sujas também comprometem o reflexo do espelho. Mãos sujas são aquelas que se envolvem com o lixo, com as toxinas da corrupção e com as obras da carne. As mãos ficam sujas quando se permitem tocar no intocável, envolver-se com o que não é de direito. Mãos sujas são o meio principal para entrada de vírus e bactérias malignas no “corpo coletivo” chamado casamento. Lavar as mãos é um ato espiritual. Os sacerdotes o faziam antes de entrar no templo. Maridos e mulheres devem sempre recorrer à água potável que jorra do trono de Deus: a Palavra. Pela Palavra somos lavados, dizia o apóstolo.

Uma vez limpos, nosso espelho sempre manterá a imagem de Deus refletida. “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor…” (2 Coríntios 3.18). Tal imagem só se vê na luz, posto que o espelho nada reflete no escuro. A luz do Espírito Santo é que se responsabiliza em deixar nosso casamento, nossa família, nosso relacionamento sempre aptos para que Deus se veja em nós.

Por fim, pensemos nisto: ninguém gostaria de chegar à frente de um espelho e ver a imagem de outro. Deus nunca terá prazer em olhar para nosso casamento, ou para nossa família, e ver a imagem de outro que não Ele. Que estamos refletindo? Tudo o que não for Deus é diabo. Eis a razão por que muitos casais se separam: porque não se superam. Muitos casais se separam porque permitem a interferência do diabo. Os casais se separam apenas pelo fato de o inferno não tolerar a glória de Deus no casamento. Os casais se separam quando ouvem a voz da serpente e ignoram a ordem de Deus. Os casais se separam quando são passivos à investida violenta daquele que não tolera ver Deus em nós.

O diabo é derrotado na unidade, no comprometimento e na aliança do casal. Ele é repreendido quando dois se tornam um e se diluem na caminhada até que a morte os separe. Ele é derrotado quando o casal tem consciência de que Deus se interessa pela ordem, respeito e tolerância como fruto da graça. O diabo é derrotado quando não permitimos que ele potencialize nossas imperfeições, antes, elas são diluídas no próprio relacionamento.

Somos espelho de Deus – para tristeza do inferno – para a manutenção do projeto do Criador em sua perfeita expressão na terra. Amém.

#Vidaconjugal #Relacionamento

  • Twitter Clean
  • w-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now