EDIÇÃO 156 - MAIO/JUNHO 2017

APRENDI COM JUDITH

A graça de Deus às vezes escandaliza. Ela é tão magnífica que nem sempre conseguimos compreendê-la. Somos muito limitados. Por outro lado, ela é muito simples, porque só pede que tenhamos fé. Toda a ação vem de Deus. 

LEIA MAIS

Quero convidá-lo(a) a pensar demoradamente sobre a gratuita e soberana graça de Deus. Uma compreensão correta sobre ela poderá transformar toda a sua vida e também o seu casamento. Você precisa urgentemente entender que a graça de Deus é gratuita, soberana, imprevisível, surpreendente, excepcional, rica, ilógica, inesgotável, inacreditável e tantos outros adjetivos positivos que você possa imaginar.


Todos os elementos essenciais para uma vida a dois dependem da graça de Deus para, interligados, trabalharem com eficiência no sucesso do casamento.


Como Cisco no Olho
O casamento é a união de dois indivíduos imperfeitos; cada um leva para o relacionamento uma série de hábitos e comportamentos peculiares. Não importa a abundância de boas intenções ou a intensidade da paixão e do romantismo que, não resta dúvida, favorece o enriquecimento da relação; cedo ou tarde as diferenças e imperfeições de cada um vêm à tona.


Um casal de namorados apaixonados às vezes nutre a expectativa de que o outro não fará nada errado pelo resto de sua vida. Mesmo ele(a) tendo algumas particularidades que se pertencessem a outras pessoas seriam difíceis de “engolir” desde o início, para o(a) enamorado(a) é algo tão simples, tão mínimo, que não atrapalhará a relação, nunca! Mas quando a rotina do dia a dia vivendo sob o mesmo teto rouba a cena, as diferenças mútuas assumem uma nova dimensão e facilmente despertam o mau humor de cada um e incomodam como um cisquinho no olho.


A verdade é que existem forças que minam o casamento e ameaçam desestabilizá-lo, enfraquecê-lo e até destruí-lo. É necessário um fator poderoso para unir o homem e a mulher quando sua imperfeição os distancia e os isola. É indispensável que o casal compreenda as implicações do seu compromisso e amor.

Elo Vital
A graça é o elo vital que providencia a harmonia que mantém duas pessoas unidas. Ela dá condições para que o amor cresça e se desenvolva. A graça é a qualidade espiritual que serve de base para relacionamentos saudáveis. Os cristãos deveriam ser especialistas em graça. Já deveríamos ter descoberto há muito tempo e mais profundamente a incrível generosidade do nosso Deus. O apóstolo Paulo escreveu: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo – pela graça sois salvos” (Efésios 2.4-5). Deus nos tratou com bondade mesmo quando nós não nos importávamos com Ele. 


Mesmo depois de termos conhecido a Deus e recebido a salvação por intermédio de Jesus Cristo, devemos ser honestos e reconhecer que, infelizmente, somos incapazes de viver vidas dignas diante d’Ele. Apesar disso, o Senhor é paciente e bondoso conosco. Por isso, se alguém tem motivos para conceder graça aos outros, somos nós.

Minha Esposa Tem me Ensinado
Nas últimas décadas, minha esposa tem me ensinado muito a respeito da graça de Deus. Confesso que, quando nos casamos, eu sabia muito pouco sobre o que consiste praticar a graça de Deus no casamento. Com o passar dos anos, percebi que criara diversas e variadas expectativas sobre minha esposa; que íntima e silenciosamente planejara táticas com o objetivo de modificá-la para que ela se encaixasse perfeitamente ao modelo que eu tinha imaginado. Mas confesso que fiquei impaciente ao notar que ela não demonstrava muita disposição em colaborar com o meu plano: “Será que Judith não entende que Deus me escolheu para ser seu líder?” – eu me perguntava.


Perdi a conta das vezes que fiquei irritado com a falta de colaboração da minha esposa, afinal eu estava ali como um agente de Deus designado para refiná-la. Mas Judith é uma pessoa rica em graça, e convivendo com ela o Senhor começou a mostrar-me que quando um relacionamento se baseia em uma aceitação incondicional, toda relação é modificada. O comportamento do casal e sua própria comunicação passam por um processo de transformação.

Nada de Condenação
A graça promete: “Nunca o(a) condenarei”. Quando falamos por meio dela, preocupamo-nos em abençoar e edificar nosso cônjuge e filhos. Exaltamos seus pontos positivos. As palavras que emanam da graça são imbuídas de paciência, perdão e compaixão. A graça está sempre comprometida em não inferiorizar ou tentar destruir um membro da família. Ela não usa palavras duras, críticas mordazes, ridicularização, menosprezo ou ataques gratuitos, pois, como lemos em Provérbios 18.21, “a morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”.


Nada de Manipulação
Em alguns casamentos há certa manipulação entre os cônjuges. Ambos querem controlar o relacionamento, talvez ambicionando, inspirados pelo seu próprio egoísmo, algum tipo de ganho pessoal. A graça está sempre renovando a disposição da pessoa em liberar o cônjuge de regras, exigências e leis pessoais. Às vezes um cônjuge tenta manipular o outro crendo, do fundo do seu coração, que sabe o que é melhor para ele. Mas esse procedimento, pouco a pouco, torna a relação limitada e destrutiva.


Liberdade
Sob a ação da graça, marido e mulher ficam livres da obrigação de precisarem se esforçar para provar que merecem o amor, a aceitação e a compreensão do outro. Esse alívio contribui para que o ambiente seja de liberdade e crescimento. Dessa forma, não existirá na relação receio, desconfiança e, consequentemente, posturas defensivas ou autoprotetoras.

Igualdade
A graça aceita o outro como igual: “... sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida” (1 Pedro 3.7). Quando o Espírito da graça reina no casamento, os cônjuges ficam livres da obsessão de um ser o senhor do outro, para assumir, com alegria, sua condição de servo. Não será mais necessário obedecer a hierarquias socialmente impostas. O casal se sentirá seguro vivendo sob a liderança do Senhor – um não será mais uma ameaça para o outro.

Cumplicidade
A graça é o fundamento da cumplicidade entre o casal. Ela faz brotar a confiança necessária para que o compartilhar seja franco e aberto. Medo, dores, sonhos, desejos, frustrações, decepções, alegrias e objetivos podem ser verbalizados sem receio. Ambos sabem que os sentimentos que estão escondidos no íntimo do seu coração não serão subestimados ou recebidos com desdém ao serem expressos.

É Assim que Funciona
Esta é a base para uma relação saudável. É assim que funciona um casamento construído sobre o alicerce preparado por Deus. O Senhor nos capacita a compreender e demonstrar graça porque Ele mesmo a pratica quando interage conosco. Infelizmente, muitos não entendem a natureza graciosa de Deus. Muitos ainda o encaram como um rígido senhor feudal, severo e intransigente. Essas pessoas terão enorme dificuldade para conviver no casamento com liberdade, generosidade e amor maduro.


Pode ser que você, que está lendo este artigo agora, esteja enfrentando sérias tensões conjugais. A graça a qual me refiro é sua maior necessidade e sua grande esperança neste momento. Ela pode alcançá-lo(a) por meio do reconhecimento de que Deus enviou ao mundo seu Filho, Jesus Cristo, cheio de graça e de verdade, para oferecer a sua própria vida em troca da sua. Por intermédio do seu encontro com Cristo, você receberá graciosamente esse presente. Se tomar essa decisão, você terá capacidade de demonstrar graça ao seu cônjuge e a seus filhos – mesmo quando eles não merecerem. E esteja certo(a) de que isso transformará sua vida familiar.


Talvez a palavra de graça mais significativa que alguém possa ouvir seja “eu o(a) perdoo”. Pedir perdão e perdoar são atitudes que têm uma função semelhante ao remédio que cura. A graça confirma o valor da outra pessoa e solidifica o elo mútuo. A linguagem enraizada no amor edifica a família.


Entregue-se ao seu casamento e à sua família com graça, amor e determinação e... seja feliz

A graça garante reconstrução e que não há condenação    

Lisânias Moura
 
A graça garante a paciência mesmo diante de uma irritação

Carlos Catito
 

Exigência ou excelência

Luiz Henrique de Paula
 
Um ser livre... 

Ivana Garcia
 

A graça lhe proporciona a liberdade de escolher o modo como realizar as coisas

Rodrigo Capusso

A graça diz: eu vou contar aos outros seus pontos fortes e não superestimar seus pontos fracos

Paulo Klawa

ARTIGOS

Adoração em família

Gerson Ortega 

Linguagens do amor  

Mario Simões

 

Finanças em família

Marcos Thomazi 

 

Comunicação & ação

Darcy Sborowski

 

Namoro cristão

Elisabeth Bifano

 

A família nas mãos de Deus

Luis Antonio Caseira

 

Pais e filhos, amigos para sempre

Luciana Piragine

Vida conjugal

Angélica Neumann

A graça garante a igualdade entre o casal

Aos poucos o lugar vai se enchendo. Todos se acomodam em meio a muitos comentários feitos por alguns espectadores e também por torcedores empolgados. Logo a corrida vai começar. 

Jonas Neves

O bálsamo da graça no casamento

Uma das histórias bíblicas mais dramáticas foi, sem dúvida, a de Oseias e Gômer. Lendo, conhecendo e estudando a história de casamento desse profeta, podemos, sem dúvida, extrair reflexões importantes sobre o tema deste artigo.

Gilson Bifano

  • Twitter Clean
  • w-facebook