EDIÇÃO 143 - MARÇO/ABRIL 2015

LEIA MAIS

 ano 30  |  n.º 143

A maior e melhor tarefa de nossa vida
Jaime Kemp

Desenvolvendo o senso crítico    
Tércio Sá Freire

Liderando a Geração Z
Sergio e Magali Leoto

Especial atenção e cuidado dos pais
Dora Bomilcar

A transmissão de valores cristãos
Lourenço Stelio Rega

Água é vida
Adriel de Souza Maia

O que fazer quando as drogas são o problema
Alcindo Almeida

Eu e minha família na casa de Deus
Edson Luiz Mesquita

A transmissão de valores morais
Magno Paganelli

"Fale com a sua mãe!"
Marcos Garcia

O mundo que nossos filhos enfrentam
Sísera Corrêa de Oliveira

Os pais comunicam seus valores mais pelo que são e menos pelo que dizem. Portanto, é extremamente importante que cada pai seja um modelo positivo na observação de seus filhos.


É na adolescência que os filhos começam a consolidar os valores aprendidos desde a infância. Para que eles se tornem adultos equilibrados emocional, moral e espiritualmente, é importante os pais lhes transmitirem, desde pequenos, os valores absolutos. A Palavra de Deus e os ensinamentos bíblicos são valores eternos, absolutos e imutáveis. Para aqueles que um dia aceitaram Jesus como Senhor de sua vida, os valores cristãos serão sempre necessários e essenciais, tanto sob o ponto de vista individual como coletivo, independentemente do momento histórico e das circunstâncias pessoais e sociais. 


Para que os pais possam influenciar profundamente os filhos, eles precisam estabelecer como prioridade o desenvolvimento de uma relação de qualidade, envolvente e valiosa com eles. Há várias maneiras práticas de fortalecer um relacionamento entre pais e filhos, mas também há várias maneiras de detoná-lo. Às vezes agimos de forma negativa com eles, mesmo sem perceber. Seu(sua) filho(a) já pediu que você não agisse com ele(a) de certo modo? Sua esposa já o alertou sobre algo negativo que observou no seu relacionamento com seus filhos?

  • Você promete e não cumpre?

  • Já traiu a confiança de seus filhos?

  • Está sempre ocupado para ouvi-los e ajudá-los?

  • Costuma agir com sarcasmo?

  • É muito crítico?

  • Já os expôs ao ridículo?

Se você já praticou alguma das atitudes mencionadas, creio que este é o momento para você parar, refletir e corrigir enquanto é tempo.

  • Ouça atentamente o que seus filhos dizem.

  • Respeite-os.

  • Desenvolva com eles alguma atividade da qual eles realmente gostem.

  • Encoraje-os. Ajude-os a se autoafirmarem.

  • Valorize e prestigie seu relacionamento com eles.

Peço que você leia atentamente os artigos publicados nas próximas páginas desta revista, pois o assunto aqui abordado é muito sério. Ele fala sobre o futuro de seus filhos e sobre o legado que você pode deixar ou não para eles. Embora seja desgastante, e algumas vezes até mesmo frustrante, nunca esqueça que ser pai é um privilégio único e supremo da vida.


Que Deus lhe dê graça e coragem para que você seja o pai que seus filhos precisam nas fases de mudanças e desafios.

Jaime Kemp

 Se você não fizer, alguém o fará 

  • Twitter Clean
  • w-facebook