EDIÇÃO 160 - JANEIRO/FEVEREIRO 2018

O AMOR AO DINHEIRO

Paulo descobriu que a heresia ameaçava abalar a estrutura da igreja em Éfeso. Diante disso, ele escreveu uma carta para seu filho na fé e pastor da igreja citada, Timóteo. Nessa carta, ele mencionou as falsas doutrinas que não concordam com a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Timóteo 6.3) e falou sobre aqueles que “pensam que a piedade é fonte de lucro” (v. 5 – NVI), isto é, pessoas que, em vez de procurar o Deus da bênção, estão interessadas na bênção de Deus. Será que este mesmo problema não acontece hoje?

LEIA MAIS

Em seguida, Paulo apontou três tipos de pessoa:

1. Aqueles que não são ricos (vv. 6-8).
2. Aqueles que querem ser ricos (vv. 9-10).
3. Aqueles que são ricos.

Para aqueles que não são ricos, Paulo disse: “De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos” (vv. 6-8 – NVI).


O que é importante para aqueles que não têm muitos bens neste mundo? Em primeiro lugar, contentar-se com o que já têm. A nossa tendência é sempre querer mais, porém é imprescindível priorizar sempre os valores eternos, porque as coisas deste mundo não vão durar. E, ainda mais importante, aprofundar nosso relacionamento com Deus, buscando a piedade. Tudo isso é “grande fonte de lucro”. 


Para aqueles que querem ficar ricos, que “caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (vv. 9-10 – NVI). 


Se você soubesse que precisaria pagar um preço excessivamente alto pela oportunidade de ficar rico, ainda levaria seu desejo adiante? Infelizmente, a tendência de muitos é esquecer-se de Deus quando começam a depender do dinheiro. Paulo fez uma forte advertência a essas pessoas: “Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão” (v. 11 – NVI).


“Ordene aos que são ricos neste presente mundo que não sejam arrogantes, nem ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos provê ricamente, para a nossa satisfação. Ordene-lhes que pratiquem o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e prontos a repartir. Dessa forma, eles acumularão um tesouro para si mesmos, um firme fundamento para a era que há de vir, e assim alcançarão a verdadeira vida” (vv. 17-19 – NVI). Existe alguém que não quer alcançar a verdadeira vida?


Nunca esquecerei a última cena do filme “A Lista de Schindler”. Oskar Schindler, proprietário de uma fábrica de esmaltes e munições, estava recebendo a gratidão de alguns dos judeus que ele contratara para trabalhar com ele, salvando-os da morte certa pelos nazistas. Naquele momento, enquanto aquelas pessoas agradeciam seu ato heroico, ele olhou para o enfeite de ouro na lapela de seu paletó, olhou para o seu carro e disse: “Se eu tivesse vendido estas coisas poderia ter salvado mais! Poderia ter salvado mais!”.


Será que um dia ficaremos diante do Senhor na glória e diremos estas mesmas palavras: “Eu poderia ter feito mais se não tivesse me dedicado e ficado tão envolvido(a) em obter riquezas do mundo. Eu poderia ter feito muito mais para o reino de Deus e para alcançar os perdidos”. 

JUDITH KEMP

Nem tudo é como queremos
Jaime Kemp

Impacto do conflito conjugal nos filhos
Clarice Mosmann e Denise Falcke 

A separação deixou de ser “tragédia” e virou “moda”!    
Mário Simões

Falta de compromisso no casamento
Hernandes Dias Lopes

Tudo não passou de um engano
Ivana Aguiar Garcia

Relacionamento sexual adequado
Jonas Neves
 
Pensamentos fora de controle

Valéria Lima

A vida é curta demais para sermos o tempo todo infelizes
Judith Kemp

Relacionamento entre os sogros e o casal
Paulo Klawa

O desafio de harmonizar a vida familiar e ministerial    
David Sales

Artigos

Linguagens do amor
Gilson Bifano

Adoração em família
Giovani Luiz Zimermann

Finanças em família
Marcos Antonio Garcia

Comunicação & ação
Lourenço Stelio Rega

Pais e filhos – amigos para sempre
Sergio e Magali Leoto

Namoro cristão
Lucia Thomazi

Vida conjugal
Marcos Antonio Peres

Como preparar um orçamento financeiro adequado

Eu prefiro chamar de Plano. Sim! O Plano de Deus para sua vida financeira. E colocar tudo lá. E que tal não ter de fazer mais aquela pergunta: para onde foi o dinheiro? Isso não seria maravilhoso? Então vamos lá! Lápis e papel na mão, ou mesmo aquela planilha eletrônica. 

Paulo de Tarso

"Dinheiro na mão é vendaval"

Há quatro anos, desde 2014 até agora, início de 2018, o povo brasileiro tem experimentado na pele a veracidade desta frase criada por Paulinho da Viola. As pessoas viram o dinheiro voar de suas mãos e também chegaram a esta conclusão: “quanta gente aí se engana e cai da cama com toda a ilusão que sonhou”.

Jaime Kemp

  • Twitter Clean
  • w-facebook